Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Como os delegados da Polícia Federal querem retaliar Bolsonaro

Medidas de delegados da PF estão dentro uma série em retaliações ao governo por não terem recebido o aumento prometido por Jair Bolsonaro

atualizado 27/04/2022 11:52

Novo prédio da Polícia Federal no dia da inauguração da estrutura, localizada na W3 Norte- MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

Delegados da Polícia Federal estão planejando não enviar oficiais para cumprir missões em deslocamento antes de receberem as diárias referentes aos dias fora das cidades em que moram. A medida é uma dentre uma série em retaliação ao governo por não terem recebido o aumento a eles prometido por Jair Bolsonaro.

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) enviou um ofício à direção da PF com essa exigência e pedindo também que todos os deslocamentos acima de 400 quilômetros sejam feitos por via aérea para evitar o desgaste dos delegados.

A entidade disse no documento que o governo Bolsonaro “não está reconhecendo o sacrifício” dos policiais federais. Foi definido que os delegados estarão em estado de mobilização até que os critérios para o pagamento das remunerações prometidas sejam acertados. O prazo dado foi de 30 dias.

Além disso, os delegados avisaram que não irão mais se comunicar por nenhum meio de comunicação que não seja da corporação, ou seja, não usariam mais seus celulares para trabalhar. A entidade pede que a corporação pague por toda a forma de comunicação dos delegados, como por exemplo com telefones da própria Polícia Federal.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna