Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Carrefour fará auditoria externa de contratos com empresas de segurança

Rede de supermercados internalizou a segurança das lojas, mas tem de manter empresas terceirizadas nas áreas externas e de estacionamento

atualizado 01/10/2021 22:24

Serviço de monitoramento de imagens de segurança do CarrefourDivulgação/Carrefour

A consultoria Bernhoeft foi contratada pelo Grupo Carrefour Brasil para auditar todos os contratos que a rede de supermercados mantém com empresas de segurança.

O Carrefour vem anunciando uma série de mudanças no modelo de segurança desde que João Alberto Freitas, um homem negro, foi assassinado por seguranças terceirizados num supermercado em Porto Alegre. Entre as medidas está a internalização da segurança de todas as lojas da rede.

A vigilância das áreas externas e dos estacionamentos teve de permanecer com as terceirizadas porque a legislação impede que empresas sem a chancela da Polícia Federal façam a segurança patrimonial.

A Bernhoeft será responsável por auditar se as empresas de segurança cumprem o regramento antirracista que foi incluído nos contratos a pedido do Carrefour. Uma das cláusulas prevê tolerância zero para eventuais violações dos terceirizados, o que dá ao Carrefour o direito de romper contratos de forma imediata e sem sofrer sanções.

O Carrefour também está investindo R$ 5 milhões na compra de câmeras que serão instaladas nos uniformes dos seguranças internalizados. Todos os funcionários das lojas de Porto Alegre receberam o aparelho, já que a cidade servirá como um piloto das novas práticas.

O uso das body cams será implementado em nível nacional gradualmente. O Carrefour tem encontrado dificuldades para importar a quantidade de câmeras necessárias para todas as lojas do país.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna