Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Bolsonaro indica à ANTT assessor que sugeriu arquivar carta da Pfizer

Robson Crepaldi, assessor da Casa Civil, foi indicado para o cargo de ouvidor na ANTT

atualizado 04/04/2022 11:46

vacina da pfizerNicolas Economou/NurPhoto via Getty Images

O assessor da Casa Civil Robson Crepaldi, autor do documento que sugeriu ao Planalto não responder a uma oferta de vacinas feita pela Pfizer em 2020, foi indicado nesta segunda-feira (4/4) para o cargo de ouvidor na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A indicação faz parte de um pacote de cerca de 20 nomes enviados ao Senado para vagas em agências reguladoras e autarquias.

Em setembro de 2020, a Pfizer enviou a Jair Bolsonaro uma carta propondo a negociar com o país a sua vacina para a Covid-19. Um mês depois, Crepaldi, então assessor especial da Casa Civil, assinou um ofício dizendo que o assunto cabia ao Ministério da Saúde e pediu o arquivamento do processo interno envolvendo o contato da Pfizer. O caso foi informado pelo repórter Paulo Motoryn no ano passado.

A vacinação no Brasil contra a Covid atrasou e só começou em janeiro de 2021, com a Coronavac, em São Paulo. Durante a CPI da Covid, ficou claro que a gestão Bolsonaro não se empenhou para responder a diversos contatos da Pfizer. Em um depoimento à comissão em maio do ano passado, Fabio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação da Presidência, afirmou que o governo ignorou a carta da Pfizer por dois meses.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna