Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Bolsonaro e Flávio definem duas frentes após prisão de Milton Ribeiro

Estratégia envolve relembrar posse de Lula como ministro e cobrar engajamento em notícias positivas

atualizado 23/06/2022 11:05

Flávio e Jair BolsonaroIgo Estrela/Metrópoles

Em reunião no Planalto nesta quarta-feira, Jair Bolsonaro definiu duas frentes de atuação após a prisão de Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação. Uma das estratégias é comparar o escândalo com outros da gestão do PT.

“Milton Ribeiro deixou o cargo, e a Polícia Federal investigou e prendeu. Na época do PT, não era apenas um ministro investigado. Eram vários. E o próprio Lula foi empossado com objetivo de impedir que fosse investigado”, disse Flávio Bolsonaro durante a reunião de alinhamento na área de comunicação.

Em outra frente, Bolsonaro cobrou o máximo de engajamento possível, de todos no governo, na divulgação de notícias positivas. Segundo ele, “muita gente não sabe de coisas boas que estão acontecendo no país”.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna