Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Vacinação contra Covid-19 é ampliada no DF para todos os profissionais da saúde pública

O chefe da pasta no DF, Osnei Okumoto, disse que todos os servidores públicos da saúde serão imunizados, sem distinção de categoria

atualizado 25/01/2021 20:43

Vacinação da Covid no HranGustavo Moreno/Especial Metrópoles

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou, na noite desta segunda-feira (25/1), que a vacinação contra a Covid-19 foi ampliada para todos os profissionais da área, sem distinção de categorias.

Todos os trabalhadores de hospitais privados, conveniados, filantrópicos, universitário e militares também deverão ser imunizados, conforme orientação do Comitê de Vacinação Covid-19, da Secretaria de Saúde. Segundo a pasta, esses grupos da rede pública e particular começarão a ser vacinados já na terça-feira (26/1).

Os servidores públicos receberão as doses nas unidades onde atuam. E os empregados dos hospitais particulares continuarão sendo imunizados em seus locais de trabalho.

“Hoje, segunda-feira, o Comitê de Vacinação Covid-19 da Secretaria de Saúde emitiu uma circular definindo que todos os servidores da saúde pública do Distrito Federal, sem distinção de categoria, receberão a vacinação contra Covid-19, bem como todos os servidores dos hospitais da rede privada”, disse o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto.

De acordo com o secretário, com a chegada de mais doses, na próxima etapa, serão contemplados idosos com mais de 80 anos de idade.

Confira, na íntegra, a circular do comitê:

Ampliação da vacinação cont… by Metropoles

Mais vacinas

O Distrito Federal recebeu, ainda nesta segunda-feira (25/1), mais 19 mil doses da vacina Coronavac, produzida em uma parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac. No domingo (24/1), 41,5 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca, feita na Índia, chegaram à capital federal. O primeiro carregamento, de 106 mil doses, chegou no dia 18 de janeiro.

“A partir do recebimento dessas novas doses conseguiremos atender a todos os profissionais de saúde da rede pública, sem distinção de categoria. Esse sempre foi o nosso objetivo, atingir todas as categorias da Secretaria que tanto se dedicaram durante a pandemia. Com o baixo quantitativo de vacinas recebidas na primeira remessa, tivemos que restringir o público. Agora os profissionais podem ficar tranquilos, pois serão contemplados em sua totalidade”, disse o secretário adjunto de Saúde, Petrus Sanches.

De acordo com a Secretaria de Saúde, a Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) ajudará no processo de deslocamento das equipes volantes para acelerar o processo de vacinação dos servidores. No total, 40 carros ficarão disponíveis para levar as vacinas e seus aplicadores às unidades.

Segunda dose

A pasta ressaltou que é preciso inserir no cartão vacinal o dia da primeira dose, qual é o fabricante e a data de retorno. É que a Coronavac e a Oxford/AstraZeneca têm intervalos diferentes para aplicação da segunda dose.

No caso da Coronavac, a segunda dose precisa ser ministrada entre duas e quatro semanas. Já a Oxford/AstraZeneca tem melhor eficácia quando a segunda dose é aplicada após 12 semanas.

Os idosos e as pessoas com deficiência que estão internados em instituições de longa permanência, além de indígenas, continuam sendo imunizados nesta primeira etapa.

“No início da próxima semana, o Comitê se reunirá novamente para deliberar sobre a possibilidade de recebimento de novas doses e, com isso, planejarmos positivamente uma nova ampliação. Pedimos mais uma vez que a população do Distrito Federal fique tranquila, pois a Secretaria de Saúde tem trabalhado incessantemente para que todos os grupos sejam imunizados, levando sempre em consideração o quantitativo de doses recebidas do Ministério da Saúde”, afirmou Sanches.

Desde o início da vacinação no Distrito Federal, em 19 de janeiro, foram aplicadas 18.522 doses.

Mais lidas
Últimas notícias