Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Sindicato diz que rodoviários do DF voltam ao trabalho na terça-feira

Os rodoviários paralisam as atividades por 24 horas para cobrar vacinação contra a Covid-19. Ônibus não circulam nesta segunda-feira (3/5)

atualizado 03/05/2021 17:51

Rodoviários mantêm greve e paralisação de 100% da frota no DFRafaela Felicciano/Metrópoles

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Terrestres de Passageiros Urbanos, Interestaduais, Especiais, Escolares, Turismo e de Carga do Distrito Federal (Sittrater-DF) informou que o serviço de transporte público será totalmente reestabelecido, nesta terça-feira (4/5).

Os rodoviários paralisaram as atividades nesta segunda-feira (3/5) e nenhum ônibus saiu nas ruas, causando aglomerações nas paradas de ônibus. Para cobrar vacinação contra a Covid-19, os trabalhadores cruzam os braços por 24 horas.

Segundo o Sittrater-DF, a direção da entidade vai discutir os próximos passos do movimento a partir de amanhã. Por enquanto, não há nenhum novo ato programado e uma eventual futura paralisação dependerá da posição do GDF, de acordo com o sindicato.

“A paralização dos trabalhadores foi motivada porque o GDF mudou promessa feita à categoria que a incluía no calendário de vacinação prioritariamente. Após este anúncio, o GDF alterou o discurso e passou a informar que somente após vacinar as forças de segurança e professores, os trabalhadores do transporte entrariam na fila. Ocorre que, com a falta de vacinas, isso só viria a ocorrer dentro de longo prazo. A direção do sindicato entende que a categoria tem grau muito elevado de exposição e auto índice de contaminação, e por esta razão, tentou modificar o entendimento do GDF, mas sem sucesso”, alegou.

Confira a nota na íntegra:

No sábado (1º/5), presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), desembargador Brasilino Santos Ramos, mandou o sindicato garantir contingente mínimo de 60% dos ônibus nos horários de pico (das 5h às 9h30 e das 17h às 19h30), e de 40% nos demais momentos. A multa por descumprimento é de R$ 50 mil por dia.

Na manhã desta segunda-feira, o magistrado determinou que o Núcleo de Mandados Judiciais vá até as garagens das empresas de ônibus. A vistoria tem como objetivo conferir se está sendo cumprida a decisão judicial que estabeleceu percentuais mínimos de veículos em circulação durante a paralisação dos rodoviários.

A liminar atende parcialmente a um pedido das empresas de ônibus contra o Sittrater-DF. Uma audiência de conciliação ocorreu na tarde desta segunda-feira, porém, o sindicato não compareceu. Sem a presença da entidade, não houve avanço nas tratativas, de acordo com o TRT-10.

Últimas notícias