Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Relator no TSE nega recurso de Rodrigo Rollemberg contra Ibaneis Rocha

Processo trata de manifestações do Sindepo, Sinpol e Sindsaúde durante as eleições. O ex-governador argumenta que atual foi favorecido

atualizado 03/11/2020 23:12

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) discutiu, em sessão na noite desta terça-feira (3/11), recurso apresentado pelo ex-governador Rodrigo Rollemberg (PSB) contra decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) que rejeitou denúncia de abuso de poder econômico e pedido de cassação do mandato do governador Ibaneis Rocha (MDB), em 2019. O processo trata de manifestações críticas a Rollemberg de sindicatos durante as eleições de 2018.

Relator do caso, o ministro Mauro Campbell Marques, votou pela manutenção da decisão do TRE-DF e contra o recurso do ex-governador. De acordo com ele, as provas anexadas aos autos não são suficientes para demonstrar que Ibaneis foi beneficiado pelos atos praticados pelos sindicatos dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF), dos Delegados do DF (Sindepo) e dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília (Sindsaúde).

A defesa de Rollemberg cita como provas a divulgação de campanhas publicitárias críticas ao então governador e candidato à reeleição e a confecção de boneco inflável batizado de “Rollinóquio” (foto em destaque) – uma junção do nome do ex-governador com o do personagem infantil Pinóquio.

“Ibaneis se sagrou vencedor no segundo turno com ampla margem de votos. Mesmo que se considere a possibilidade de que todos os sindicalizados e seus familiares tivessem votado em Ibaneis, o número não é fator relevante para inferir gravidade ao caso em discussão”, pontuou o ministro relator.

O julgamento, no entanto, foi interrompido por pedido de vista do ministro Luis Felipe Salomão. O magistrado argumentou que gostaria de analisar “com mais vagar questão da preliminar” em relação a pedido de produção de provas feito por Rollemberg e negado pelo TRE-DF.

“Após o voto do relator, confirmando a decisão do TRE-DF pela improcedência da ação, houve pedido de vista baseado em questão técnica, não relacionada a qualquer ato praticado pela campanha de Ibaneis. Reiteramos a confiança de que em mais uma oportunidade a Justiça Eleitoral confirmará a regularidade dos atos de campanha”, afirmou Bruno Rangel, advogado de Ibaneis Rocha.

A defesa de Rodrigo Rollemberg não foi localizada. O espaço continua aberto para manifestações.

Últimas notícias