Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Presidente denuncia retirada de bens do Pros na calada da noite

Marcus Vinicius de Holanda registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia de Planaltina de Goiás na quarta-feira (22/01/2020)

atualizado 23/01/2020 10:48

BRASILINHAURGENTE /ARQUIVO CEDIDO AO METRÓPOLES

O presidente da comissão executiva nacional provisória do Pros, Marcus Vinicius Chaves de Holanda, registrou boletim de ocorrência no qual denuncia possível roubo de bens do partido. A comunicação foi feita à Polícia Civil de Goiás na quarta-feira (22/01/2020).

Holanda narrou ter sido informado que, por volta das 3h de segunda-feira (20/01/2020), um caminhão estacionou na porta da gráfica do partido (foto em destaque), localizada em Planaltina (GO), e pessoas retiraram materiais diversos do prédio.

O representante da sigla afirmou não saber quem foi o autor da ação, mas indicou uma testemunha. Titular da Delegacia de Polícia de Planaltina de Goiás, Cristiomário Medeiros disse à coluna que essa pessoa será ouvida.

Em 11 de janeiro, o então presidente nacional do Pros, Eurípedes Júnior, foi destituído do cargo após reunião do diretório nacional da sigla. A comissão executiva nacional provisória, presidida por Holanda, foi criada no mesmo dia.

A mudança também alcançou a Fundação da Ordem Social (FOS), ligada ao Pros. No lugar do então presidente da FOS, Felipe Antônio do Espírito Santos, entrou Carlos Alberto Rodrigues Tabanez.

O advogado do diretório nacional e de Eurípedes, Bruno Pena, e Espírito Santo não reconhecem o ato de destituição e o questionam na Justiça.

Assim, a 15ª Vara Cível de Brasília determinou que os novos dirigentes apresentem toda a documentação que comprove o procedimento administrativo disciplinar contra Eurípedes, Espírito Santo e outros membros da Executiva Nacional. Também devem atestar o ato de convocação para a reunião que resultou na destituição, lista de presença assinada e ata.

Rosinha Garotinho

Enquanto a legitimidade dos novos dirigentes é questionada, informações do partido são vasculhadas. Tabanez emitiu, em 15 de janeiro de 2020, uma resolução direcionada a Holanda na qual indica “a existência de graves crimes” que teriam sido praticados por Espírito Santo e Eurípedes.

O documento afirma que foram localizados comprovantes de pagamentos, “sem qualquer serviço prestado”, para a ex-governadora do Rio de Janeiro Rosinha Garotinho e para a mãe de Eurípedes, Maria Aparecida dos Santos.

Também segundo a resolução, outros papéis achados comprovariam que foram bancadas, com dinheiro do partido, passagens aéreas e hospedagens de interesse particular para Eurípedes, as filhas dele e advogados.

Por meio de notificação extrajudicial, Holanda pede a devolução do helicóptero modelo R66 de 2013, de automóveis, TV, aparelhos de ginástica e outros itens que estariam na residência de Eurípedes, mas teriam sido adquiridos com recursos do Pros e dinheiro público. E também solicitou as chaves da subsede do Pros em Planaltina (GO) e demais imóveis.

Questionamento

A divisão no Pros chegou ao Congresso Nacional. E, também na quarta-feira, o senador Fernando Collor (Pros) e o líder do partido na Câmara dos Deputados, deputado federal Toninho Wandscheer (Pros), emitiram nota na qual chamam a destituição de Eurípedes de “clara tentativa de golpe partidário, sem lastro jurídico ou atenção ao estatuto da agremiação”.

Segundo os parlamentares, os deputados, senadores e presidentes regionais do partido “sequer foram convocados para tal reunião [que decidiu pela sanção a Eurípedes]”.

O que dizem

À coluna, Espírito Santo negou pagamento de passagens aéreas e hospedagens para fins particulares. “Qualquer despesa da fundação se justifica nas atividades da instituição”, destacou.

Ele afirmou que Rosinha Garotinho não presta serviços à FOS, mas confirmou que a mãe de Eurípedes trabalha na diretoria executiva da fundação desde 2 de maio de 2019 e recebe salário de R$ 2 mil, mais benefícios.

Bruno Pena informou que Tabanez “não possui legitimidade alguma para se apresentar como presidente da FOS ou mesmo para a realização de auditoria”. “As pessoas que invadiram e têm ocupado indevidamente a sede nacional, tanto do Pros quanto da FOS, dão muitas alegações e poucas confirmações”, acrescentou.

A defesa de Rosinha Garotinho não respondeu os questionamentos da coluna sobre o assunto. E a reportagem não conseguiu contato com Maria Aparecida dos Santos.

Confira o boletim de ocorrência:

Reprodução

 

Veja a resolução:

Resolução assinada por Taba… by Metropoles on Scribd

Veja a notificação extrajudicial:

Notificação extrajudicial s… by Metropoles on Scribd

Confira a nota assinada pelo senador Fernando Collor e o líder do Pros na Câmara, Toninho Wandscheer:

Senador Fernando Collor e líder atual do partido na Câmara emitem nota sobre a situação do Pros by Metropoles on Scribd

Mais lidas
Últimas notícias