Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Mercado imobiliário no DF fecha março com 10,9% de aumento nas vendas

O desempenho neste mês, em relação ao mesmo período de 2020, foi positivo tanto para as vendas quanto em número de lançamentos residenciais

atualizado 12/05/2021 16:20

Hugo Barreto/Metropoles

O mercado imobiliário do Distrito Federal fechou o mês de março seguindo a trajetória de crescimento dos últimos meses. De acordo com o Índice de Velocidade de Vendas (IVV), o acréscimo no volume de imóveis novos comercializados cresceu 10,9%. O percentual coroa o primeiro trimestre de 2021 como o melhor dos últimos seis anos, quando a pesquisa foi lançada.

O desempenho neste mês, em relação ao mesmo período de 2020, foi positivo tanto para as vendas quanto em número de lançamentos residenciais. Em 31 dias, foram comercializadas 472 unidades e lançados quatro novos empreendimentos, totalizando 1.021.

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, que tem afetado o setor de serviços e o comércio, o mercado imobiliário segue em crescimento.

Veja o gráfico:

Mercado Imobiliário mês de março

“Nosso setor vive um ciclo de crescimento importante e, esperamos, sustentado. Os números da pesquisa comprovam que moradia é um elemento importante na vida das pessoas e para o resultado da economia”, acredita o presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), Eduardo Aroeira Almeida.

Para o vice-presidente do Sinduscon, Adalberto Valadão, os índices apontam que o bom momento no setor veio para ficar. “Mantidas as condições de financiamento atuais, esse ciclo tende a ser longo, especialmente pela alta demanda habitacional que existe. Para quem não quiser arriscar, o momento de comprar é agora”, ressaltou.

Águas Claras no topo

Em março de 2021, as regiões que registraram o maior volume de vendas foram: Águas Claras (128); Noroeste (91); e Planaltina (62). Em fevereiro, Águas Claras liderava o ranking de vendas como a cidade responsável por comercializar 110 unidades residenciais, entre as 397 vendidas na capital.

Quando considerado o conjunto do primeiro trimestre, essas são as regiões que puxaram as vendas do mercado imobiliário. O ranking também inclui as cidades de Santa Maria e Samambaia.

O IVV acompanha o desempenho do mercado imobiliário do DF. A pesquisa é uma iniciativa da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF) e do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF).

0

Últimas notícias