Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Greve dos empregados da OAB-DF acaba 4 dias após ser deflagrada

Acordo coletivo foi fechado, nesta sexta, com aumento de 11%, e abono de R$1.750, além da correção monetária de vale-alimentação

atualizado 14/05/2021 19:38

OAB-DFIGO ESTRELA/METRÓPOLES

A greve dos empregados da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal (OAB-DF) foi encerrada nesta sexta-feira (14/5) após quatro dias de movimento paredista. A paralisação, segundo o Sindicato dos Empregados em Conselhos e Ordens de Fiscalização Profissional e Entidades Coligadas e Afins do DF (Sindecof-DF), foi motivada por descumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que previa progressões anuais.

Nesta sexta, no entanto, houve negociação sobre o acordo coletivo. Empregados e OAB concordaram com o aumento linear de 11%, abono de R$1.750, além da correção monetária de vale-alimentação.

Por meio de nota, a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal (OAB-DF) afirmou que o movimento teve baixa adesão e que a proposta aceita nesta sexta é similar à apresentada aos trabalhadores 40 dias atrás. “A OAB não reconheceu a greve por falta de cumprimento dos critérios legais”, diz documento.

O sindicato disse, também por meio de nota, que o movimento paredista teve ampla adesão. De acordo com o comunicado, a entidade representativa informou que nos últimos dias as propostas avançaram “contemplando a quitação das progressões não pagas previstas no PCCR e ACT, referentes aos anos de 2019, 2020 e 2021”.

Assim, segundo o Sindecof, “foi convocada Assembleia Geral pelo Sindicato na qual os trabalhadores decidiram por aprovar a proposta e encerrar a greve”, diz o documento.

Últimas notícias