Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Carros com placas de outros estados lotam filas de vacinação no DF

Governo planeja passar a exigir comprovante de residência para coibir o chamado “turismo da vacina”

atualizado 28/03/2021 9:57

Material cedido ao Metrópoles

A quantidade expressiva de veículos com placas de municípios vizinhos ao Distrito Federal nas filas para a vacinação contra a Covid-19 chamou a atenção das autoridades locais. Na tarde do último sábado (27/3), no drive thru instalado no estacionamento do Estádio Bezerrão, no Gama, foram vistos, no intervalo de meia hora, diversos carros registrados em cidades mineiras e goianas.

Os automóveis tinham identificação de Paracatu (MG), Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO), Anápolis (GO), Valparaíso de Goiás (GO) e Luziânia (GO). Confira:

0

De acordo com o Governo do Distrito Federal (GDF), o número de doses aplicadas em grupos específicos tem superado as estimativas oficiais. Em algumas faixas etárias, por exemplo, a vacinação chegou a 122% do público-alvo, ou seja, 22% a mais do que a população estimada para aquela idade na capital do país.

Os servidores da Secretaria de Saúde do DF não cobram a apresentação de comprovante de endereço antes de aplicar os imunizantes. O protocolo, no entanto, pode mudar. Segundo a assessoria do GDF, o governador Ibaneis Rocha (MDB) avalia a adoção da exigência do documento.

Balanço

No sábado (27/3), 9.024 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 97, com a segunda. A campanha de imunização no DF tem como público-alvo, neste momento, pessoas com 67 anos ou mais e profissionais de saúde de diferentes categorias.

Ao todo, já foram vacinadas com a primeira dose 268.901 pessoas do grupo prioritário. Com o reforço, foram 72.616 imunizados até o momento. A capital do país já recebeu 446.410 doses das vacinas CoronaVac e de Oxford.

Confusão na xepa

Como mostrou a Grande Angular, uma servidora da SES-DF afirmou ter sido intimidada por agentes da Polícia Federal na tarde de sábado (27/3). De acordo com a funcionária pública, os agentes exigiram acesso a doses remanescentes de vacinas contra a Covid-19.

O caso ocorreu no drive thru instalado no Terraço Shopping. Segundo a servidora, os policiais chegaram ao local por volta das 16h20. “Foram incisivos, disseram que não iriam sair da fila”, relatou Carine Rodrigues. “Foi uma situação bem constrangedora, desrespeito com a população e com o grupo prioritário que estava na fila.”

“No drive-thru, não existe a xepa, porque são utilizadas todas as unidades”, explicou o subsecretário de Atenção à Saúde da SES-DF, Alexandre Garcia. Ainda de acordo com o gestor, as doses remanescentes são direcionadas para o público-alvo, conforme as regras estabelecidas pela pasta.

A Secretaria de Saúde regulamentou, na sexta-feira (26/3), o direcionamento das sobras de vacinas, após o fim do horário de funcionamento dos postos de imunização no Distrito Federal. Uma circular foi divulgada para definir critérios de aplicação do que também é chamado de “xepa” dos imunizantes.

Últimas notícias