Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Advogado dono de casa onde Queiroz foi preso era casado com ré da Caixa de Pandora

Empresária é uma das personagens do esquema de corrupção que implodiu o governo de José Roberto Arruda

atualizado 18/06/2020 19:36

Crisna BonerReprodução/ Facebook

O dono da casa onde o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, foi detido nesta quinta-feira (18/06), é ex-marido da empresária Maria Cristina Boner. Ela é uma das personagens do esquema de corrupção no governo do Distrito Federal que levou à prisão do ex-governador José Roberto Arruda.

A empresária foi casada com Frederick Wassef, anfitrião de Queiroz no sítio em Atibaia (SP), onde ocorreu a operação policial que deteve o assessor. A operação foi desencadeada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) em conjunto com a Polícia Civil e o Ministério Público de São Paulo (MPSP),.

Segundo investigação da Polícia Federal batizada de Caixa de Pandora, Cristina teria pagado propina para manter contratos do GDF com o grupo de informática TBA, do qual era sócia. O dinheiro entregue a Arruda em um dos vídeos mais famosos divulgados pelo delator do esquema, Durval Barbosa, teria sido providenciado por ela.

A empresária foi acusada de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Em dezembro de 2018, ela depôs na 7ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). Na ocasião, negou o pagamento de propina a Durval Barbosa.

Cristina e seu outro ex-marido, o também empresário Bruno Basso, são investigados pelo suposto envolvimento no chamado mensalão do DEM. O ex-casal manteve diversos contratos sem licitação com o governo federal durante o mandato de Fernando Henrique Cardoso.

Relação com Bolsonaro

Em episódio mais recente, o nome da empresária aparece em uma transação comercial direta com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Em 2015, Maria Cristina vendeu, por meio de um de suas empresas, ao então deputado federal, uma Land Rover por R$ 50 mil. À época, a empresária afirmou que uma agência de veículos intermediou a negociação.

Frederick Wassef atua para a família Bolsonaro desde 2014 e é o que muitos defensores do presidente Bolsonaro consideram como “bolsonarista raiz”. Defensor das “ações mais efetivas da polícia” no combate à violência, Fred é adversário da esquerda e católico praticante.

A relação entre Wassef e Bolsonaro teria começado quando o advogado, após ver um suposto vídeo do presidente, entrou em contato para um encontro pessoal no gabinete da Câmara. O contato teria sido estreitado em 2015, quando Fred e Cristina Boner passaram a ser visitados pela atual primeira-dama, Michelle, na companhia do presidente Bolsonaro.

 

0

 

Últimas notícias