O Flamengo já gastou R$ 17 milhões com demissões de técnicos

Se o português Paulo Sousa for mandado embora, serão acrescentados mais R$ 20 milhões nessa planilha 

atualizado 17/05/2022 12:39

Paulo Sousa e TannureAlexandre Vidal / Flamengo

Como publicou o Metrópoles, o Flamengo decidiu esquecer momentaneamente o Brasileirão e focar na Libertadores, onde pode garantir a classificação, caso vença a Universidad Católica nesta terça-feira (17/5).

Mas é muito provável que a diretoria do Rubro-Negro já tenha feito as contas de uma possível demissão do técnico Paulo Sousa. Evidentemente que eles jamais admitiriam essa possibilidade, mas o cálculo já foi feito. Paulo Sousa tem contrato até o fim de 2023 e possui uma multa rescisória de R$ 20 milhões, que deverá ser paga caso a diretoria do time carioca venha a querer romper o vínculo antes da metade do ano de 2022.

O elenco e o próprio Paulo Sousa sabem que se houver mais um tropeço será inevitável. A pressão é muito forte. Ainda que os cartolas mantenham a “birra” de não ceder aos apelos da torcida em relação à volta de Jorge Jesus, já circulam informações sobre possíveis conversas com Cuca, ex-Atlético-MG.

Caso aconteça a demissão de Sousa (ou quando acontecer), o Flamengo vai acrescentar mais essa despesa em sua planilha de “indenização de treinadores”. Sem contar Paulo Sousa, ela já passa dos R$ 17 milhões, assim distribuídos:

Domènec Torrent: R$ 11,4 milhões
Rogério Ceni: R$ 3 milhões
Renato Gaúcho: R$ 3 milhões
Total: R$ 17,4 milhões

Para acompanhar as atualizações da coluna, siga o “Futebol Etc” no Twitter; e também no Instagram.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias