Até dá para torcer contra, mas é impossível não gostar de Lionel Messi

A Austrália deu algum trabalho, mas sai da Copa  do Mundo com a sensação de que já foi longe demais

atualizado 03/12/2022 18:03

Amin Mohammad Jamali/Getty Images

A Austrália fez um primeiro tempo de igual para igual com a Argentina, mas cometeu o pecado mortal de deixar Messi dar um chute a gol. Bastou um. Não é questão de força, é talento puro, puríssimo.

A partir daí a classificação da Argentina para as quartas de final foi encaminhada. Tem muito brasileiro torcendo contra os hermanos (inclusive este colunista), mas é impossível não admirar e não gostar da arte de Lionel Messi.

Ele é diferente de Cristiano Ronaldo e Neymar, porque tem soluções aparentemente mais fáceis para qualquer jogada ou situação de jogo. Inclusive fora de campo.

Não por acaso, Messi tornou-se no nome maior da história do Barcelona e figura máxima da era mais dourada do clube centenário, que ajudou a conquistar 34 títulos: 10 campeonatos nacionais, sete supertaças da Espanha, quatro Champions, três supertaças europeias e três mundiais de clubes.

O casamento entre Messi e o Barcelona parecia ser eterno, mas, por questões financeiras, foi parar no Paris Saint-Germain, de Neymar e Mbappé.

O casamento de Messi com a seleção da Argentina, independentemente do resultado desta Copa do Mundo, com certeza vai durar para sempre.

Para acompanhar as atualizações da coluna, siga o “Futebol Etc” no Twitter; e também no Instagram.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu celular? Entre no canal do Metrópoles no Telegram e não deixe de nos seguir também no Instagram!

Mais lidas
Últimas notícias