Arrependimento de Tite com Vini Jr. foi a chave para abrir a fechadura

A Colômbia jogou retrancada, abusou da pancadaria, mas o time melhorou depois das entradas de Vinícius e Antony. Estamos garantidos na Copa!

atualizado 11/11/2021 23:56

Pedro Martins/MoWA Press

Brasil e Colômbia costumam fazer jogos bem truncados, violentos, até. Esse desta quinta-feira (11/11) foi um festival de botinadas e caneladas. Em determinados momentos, tínhamos a impressão que as dimensões  do campo do Corinthians eram um pouco menores. Todos os espaços pareciam preenchidos.

Foi num jogo contra a Colômbia, na Copa de 2014, que o carniceiro Zúñiga Mosquera quase quebrou a espinha dorsal de Neymar. Foi num jogo contra a Colômbia, na Copa América de 2015, que Neymar foi expulso depois do apito final. 

Hoje foi outra guerra, mais ou menos como estamos acostumados a ver em jogos da Copa Libertadores da América. É muita pancadaria! Conseguimos uma vitória que garantiu matematicamente a classificação antecipada para a Copa do Mundo do Qatar. Neymar deu a assistência para a definição de Paquetá.

Na semana que passou, fiz uma brincadeira aqui na coluna, imaginando um hipotético “Diário do Tite”, para expressar o evidente arrependimento do treinador por não ter convocado Vinicius Junior. Ele recebeu uma avalanche de críticas — no Brasil e principalmente no exterior — e aproveitou a lesão de Firmino para chamar o jovem atacante do Real Madrid.

E, diante de um adversário com forte esquema de marcação, o arrependimento de Tite foi a “chave que abriu a fechadura”. Vinicius entrou no intervalo. Com ele pela esquerda e Antony pela direita, o ataque do Brasil foi muito mais eficiente e perigoso.

Parabéns, Tite! Uma mente nobre tem vergonha de não se arrepender.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias