A Globo finge naturalidade, mas perder o UFC será um grande golpe

Por decisão de Dana White, o presidente do UFC, a competição pode mudar para a Band a partir de 2023

atualizado 02/08/2022 12:56

Reprodução

Dana White, o homem forte do UFC, não quer mais renovar o contrato com a Globo, que termina no final do ano, e iniciou conversas com a Band. É esta a informação que circula nos bastidores e que o pessoal da Globo finge que ela não tem muita importância.

Mas perder o UFC será um golpe para a Globo. Primeiro porque o UFC é um esporte cada vez mais popular, no Brasil e no mundo, e, além disso, sem essa atração no seu portfólio, existe a possibilidade de o canal Combate simplesmente ser extinto.

O motivo do rompimento do UFC com a Globo seria o fato de as lutas não serem exibidas na TV aberta, apenas no canal Combate, seu pay-per-view que existe desde 2002. Uma parceria com a Band, a partir de 2023, seria um passo a mais para o UFC avançar como um dos esportes individuais mais populares do planeta.

A Globo fez circular na mídia uma nota de esclarecimento, tentando minimizar a possibilidade de rompimento com o UFC:

“O UFC é um parceiro de longa data da Globo, com exibição de seus eventos em várias plataformas, em especial no Combate. Mantemos conversas permanentes com eles e estamos sempre buscando boas oportunidades para os dois lados”, diz a nota.

Paralelamente, a emissora anuncia que vai investir cada vez mais em outras modalidades, como o boxe. Mas o boxe claramente está perdendo popularidade para o UFC. Isso é fato.

Lutas de exibição, como aquelas que envolveram Whindersson Nunes e Popó, podem ser novamente promovidas. O resultado de venda de pay-per-view nesses eventos deu resultados satisfatórios.

Mas, definitivamente, no universo das lutas, nada se compara atualmente ao apelo proporcionado pelo Ultimate Fight Championship. E a Globo já está acusando o golpe.

Para acompanhar as atualizações da coluna, siga o “Futebol Etc” no Twitter; e também no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias