Carros em uma velocidade e precisão que você ainda não viu.

Venda de carros eletrificados no país tem o melhor janeiro da história

Já circulam nas ruas brasileiras 79,8 mil veículos com algum tipo de propulsão elétrica, segundo a ABVE. E vai passar dos 100 mil este ano

atualizado 17/02/2022 10:34

Em janeiro de 2012, apenas 9 brasileiros compraram um carro eletrificado. Pois bem: esse mercado cresceu tanto que entrou 2022 com 2.558 emplacamentos nos primeiros 30 dias do ano. Segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico, foi o melhor mês de janeiro de toda a série histórica, com crescimento de 93% sobre os 1.321 emplacamentos de janeiro de 2021 e de 63% sobre janeiro de 2020 (1.568).

A frota de autos e comerciais leves eletrificados em circulação no país, desde 2012, já é de 79.817 unidades, devendo passar de 100 mil no início do segundo semestre. E a participação desses eletrificados no conjunto das vendas domésticas foi de 2,2% em janeiro (2.558, sobre o total de 116.801), segundo levantamento da  Fenabrave, a federação de revendedores de veículos.

Dezembro de 2021 também tinha sido o melhor mês da série histórica, com 4.545 eletrificados, fechando um ano de crescimento recorde de 77% sobre 2020. Os números referem-se à soma de automóveis, utilitários e comerciais leves eletrificados. Não inclui ônibus, caminhões e levíssimos elétricos.


Por tipo de motorização elétrica, as vendas de janeiro foram assim distribuídas:

  • 542 HEV (elétrico híbrido): 60% do total.
  • 649 PHEV (elétrico híbrido plug-in): 25,5%
  • 367 BEV (elétrico plug-in totalmente a bateria): 14,5% 
  • Total: 2.558

O mercado segue liderado pelos híbridos flex a etanol fabricados no Brasil pela Toyota. Foram 1.310 unidades em janeiro, ou 51% do total (2.558). Os eletrificados mais vendidos foram o Toyota Corolla Cross (foto), com 908 unidades, e o Toyota Corolla Altis (HEV), com 402. Em seguida, Volvo XC60 (PHEV), com 198, e Volvo XC40 (PHEV), com 117.

O presidente da ABVE, Adalberto Maluf, destacou o ótimo momento da eletromobilidade no Brasil, mas lembrou que o país pode mais. “O crescimento dos eletrificados no Brasil é muito positivo pois começa a colocar o país no mapa global das novas tecnologias”. 

Segundo ele, é preciso ampliar a descarbonização da mobilidade com a ampliação do etanol, dos híbridos flex e também dos elétricos a bateria, que são hoje a maior tendência mundial.


100% elétricos

O início do ano também confirmou a tendência de crescimento dos elétricos 100% a bateria (BEV) no Brasil. Com 367 unidades em janeiro/22, os BEVs chegaram a 14% dos 2.558 eletrificados do mês.


A participação (market share) dos BEVs no total de eletrificados segue em alta:

  • BEVs em 2020: 801.
    4% do total (19.745).
  • BEVs em 2021: 2.851 (janeiro/dezembro).
    8% dos eletrificados do ano (34.990).
  • BEVs em janeiro/2022: 367
    14,5% do total do mês (2.558).

Já são mais de 5 mil veículos 100% elétricos em circulação no Brasil. Em janeiro deste ano, o destaque entre os BEVs é o Volvo XC40 Recharge (foto), com 107 unidades, superando a liderança do Nissan Leaf Tekla (41).

Para o presidente da ABVE, apesar do aumento dos elétricos puros, o Brasil ainda está distante do potencial desse mercado e do crescimento do mundo. “O que esses números mostram é que os brasileiros se entusiasmam cada vez mais com a eletromobilidade e as novas tecnologias, mesmo sem ter os incentivos que existem em outros países”. (Com informações da ABVE)


 

Mais lidas
Últimas notícias