As curiosidades, tendências e novidades do mundo pet

Veterinário dá quatro dicas para cuidar da saúde bucal do pet

Um estudo realizado pela Mars Petcare apontou que a doença periodontal, ligada ao mau hálito, atinge 85% dos cães e gatos

atualizado 13/04/2020 13:00

pets cachoroReprodução/Unsplash

Não são apenas os humanos que precisam estar atentos à saúde bucal, pets também necessitam de cuidados. A falta de higiene na boca é uma das principais causadoras de problemas e doenças em animais. A infecção da cavidade oral causada pela falta de cuidados com a saúde bucal dos pets pode se estender a outros órgãos, como rins e coração.

Um estudo realizado pela Mars Petcare apontou que a doença periodontal, ligada ao mau hálito, atinge 85% dos cães e gatos com mais de 3 anos de idade. A pesquisa mostrou ainda que cães pequenos têm predisposição ao acúmulo de placa bacteriana, favorecendo a formação de tártaro e, consequentemente, o mau hálito.

De acordo com o médico veterinário especialista em odontologia veterinária, Marcello Roza, um dos primeiros sinais de que há algo errado com a saúde bucal do pet é o mau hálito. “Outros sintomas que os tutores devem ficar atentos são as mudanças na cor e edema nas gengivas. Elas podem ficar avermelhadas, terem corrimentos orais com ou sem sangue, aumento da salivação e coceira na região do focinho”, esclarece.

O especialista explica que a maioria dos tutores não se atentam à saúde bucal do pet, pois acreditam que a boca e os dentes do animal não precisam de limpeza. “Os cuidados com a saúde bucal devem começar cedo, incluindo escovação regular, complementada com produtos funcionais mastigáveis específicos para a saúde oral e visitas frequentes ao médico veterinário”, orienta. Uma boa dica é o tutor associar a escovação a um estímulo positivo, como uma brincadeira, um passeio ou um carinho.

Pensando nisso, o Metrópoles pediu algumas dicas para o Dr. Marcello Roza para ajudar os tutores a fazerem a higienização bucal dos pets. Confira:

1. Utilizar, com delicadeza, uma escova dental com cerdas macias. A dedeira também pode ser utilizada no processo de adaptação e depois substituída pela escova, assim que o animal estiver acostumado. A escovação deve ser diária, uma vez ao dia, e deve durar cerca de 1 minuto.

2. A pasta dental para humanos não deve ser utilizada porque contém flúor, que é engolido pelos animais e irrita o tubo gastrointestinal. A pasta dental veterinária tem um sabor agradável e facilita a escovação. Entretanto, também é importante buscar por pastas com ação química.

3. O animal deve estar bem confortável. Carícias e mimos ajudam a deixá-lo receptivo à escovação. E a prática deve ser feita em um ambiente calmo e tranquilo.

4. Sempre que possível, tentar fazer a escovação no mesmo horário, estabelecendo uma rotina, para que o animal consiga aceitar o processo de maneira mais rápida.

Mais lidas
Últimas notícias