As curiosidades, tendências e novidades do mundo pet

10 curiosidades incríveis sobre o mastim napolitano

Considerado de porte gigante, o animal chama atenção com suas "rugas" em excesso

atualizado 23/10/2019 16:28

Reprodução/MSN

O mastim napolitano é um cachorro que impressiona por seu porte. Com uma aparência “tristonha”, devido as dobrinhas que cobrem seus olhos, e uma pelagem em uma tonalidade quase azul, o animal é um dos mais pesquisados no Google Trends, ocupando o primeiro e terceiro lugar quando o assunto é cão de raça.

E por ser um animal com uma história e evolução incrível, o Metrópoles, separou 10 curiosidades sobre o figurão.

Confira!

1 – O cão mais antigo do mundo

Originário na Itália, o mastin napolitano foi citado por oradores da Roma Antiga no ano 100a.c. e por isso muitos o consideram o cão mais antigo do mundo. Mas a sua origem é um pouco incerta. Sabe-se que o cão passou por várias mudanças ao longo dos anos e acredita-se que ele tem relação quase direta com o extinto mastim assírio e com o dogue do tibete.

2 – Porte gigante

O cachorro da raça mastim pode chegar a medir 80 centímetros, além de pesar cerca de 70kg, se tornando um animal enorme. Ele não é um cão ideal para ser criado em ambientes pequenos, como apartamentos.

3 – No passado, era cão de briga

Por seu tamanho e peso, o mastim napolitano era usado com frequência em rinhas e lutas na Roma antiga e também como cão de guerra, colaborando antigamente com a polícia e também com ladrões. Ele era um dos preferidos para tal “feito” por conta do excesso de pele. Os adversários não conseguiam machucar o animal com intensidade, pois as suas dobras gigantes de pele protegem os órgãos do animal.

4 – Cavalo ou cachorro?

Por seu porte e força, o mastim napolitano era usado para puxar grandes cargas e também carroças.

5 – As rugas gigantes

As dobras na pele do animal têm o apelido de “grandes rugas” e precisam de muita atenção,  como também ocorre com o shar pei. As dobrinhas devem ser mantidas sempre secas e limpas, pois fungos e dermatites podem se desenvolver na região. Produtos específicos podem ser necessários para a limpeza.

6 – “Idosos” e preguiçosos

Eles não curtem longos passeios, mas caminhar com o cachorro é importante para evitar obesidade e fortalecer os músculos. Além disso, por ser de porte gigante, ele pode ter problemas na articulação do quadril causando dor e problemas de locomoção. Inclusive, ele pode ter deficiência de cálcio, sendo necessário ter atenção a isso desde filhote.

0

7 – Afetuosos e sensíveis

Quando socializados adequadamente, os cães se dão bem com todos, inclusive crianças e idosos. Mas devido ao tamanho do animal é necessário ficar atento com a interação entre eles. Além disso, são muito carinhosos e apegados aos tutores e não hesitam em proteger o lar.

8 – São obedientes

Eles são fáceis de ser adestrados e quando são tratados com amor e carinho tendem a criar uma relação de confiança com o dono, o obedecendo com facilidade. Adestrar o mastim napolitano é  essencial devido ao seu tamanho. Entretanto, quando se trata de proteger a família, ele costuma agir por conta própria, por isso é preciso ter cuidado com as visitas.

9 – Não deve ser o primeiro pet de alguém

Por ser um animal grande, que precisa de orientação e treinamento desde filhote, ele pode não ser uma escolha muito agradável para quem nunca teve um cachorro. Será preciso conhecimento sobre os cães e muito amor para lidar com o mastim.

10 – Cuidado com a baba!

O cão mastim saliva em excesso, acumulando uma grande e densa “baba” na boca. Isso pode ocasionar mau cheiro. Ele também pode acumular tártaro nos dentes, logo o tutor precisa ter atenção redobrada com a higiene bucal do animal.

Últimas notícias