Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Saiba quem é Jonathan Bailey, galã da segunda temporada de Bridgerton

O britânico de 33 anos é taurino, tem extensa carreira no teatro e decidiu ser ator ainda com 5 anos, após assistir a um musical da Broadway

atualizado 25/03/2022 18:22

Jonathan BaileyFoto: Markus Bidaux

A espera acabou! Estreou nesta sexta-feira (25/3) a tão esperada segunda temporada de Bridgerton. Para além da trama, desdobramentos e possíveis plot twists da série, uma pessoa em específico está dando o que falar entre o público: Anthony Bridgerton, ou melhor, Jonathan Bailey.

O britânico de 33 anos assumiu o lugar de “galã oficial” de Bridgerton, uma vez que Regé-Jean Page não voltou para a segunda parte. Na história, Anthony – irmão mais velho de Daphne – está em busca da esposa ideal, e chega a listar as características que a mulher dos seus sonhos precisa ter logo no início do episódio.

Curioso (a) para saber tudo do novo crush mundial? A coluna entrega um dossiê completo. Confira:

Carreira

Nascido no Reino Unido em 25 de abril de 1988 (taurino, para quem interessa saber), Jonathan é natural de Wallingford, cidade no condado de Oxfordshire, no sudeste de Londres. O ator decidiu que a atuação era sua aspiração aos cinco anos de idade, após assistir à peça Oliver!, da Broadway.

Bridgerton não é a primeira vez em que Bailey aparece nas telinhas, ele já atuou em diversos filmes e séries — sejam produções inteiras, sejam apenas em episódios específicos. Os papéis de mais destaque do artista (além do atual) são suas participações nas séries da BBC Leonardo, W1A e Doctor Who; na comédia Campus, do Channel 4; e no drama Broadchurch.

Fora das telas, uma grande paixão de Jonathan são os palcos. Ao todo, o ator já participou de 15 produções, incluindo clássicos do teatro, como Les Misérables e Othello. Sua participação como o personagem James na peça Company, em 2018, lhe rendeu o prêmio Laurence Olivier de Melhor Ator Coadjuvante em Musical.

Jonathan Bailey
Jonathan ao ganhar o prêmio Laurence Olivier de Melhor Ator Coadjuvante em Musical

Além da que foi vencedor, Jonathan foi indicado a outras três premiações no teatro: BroadwayWorld UK Award de Melhor Ator Coadjuvante em um Novo Musical por Company; WhatsOnStage Award de Melhor Ator Coadjuvante em Musical por Company; e Evening Standard Theatre Award de Melhor Revelação, por South Downs.

Cenas quentes

Mias que uma história envolvente, um dos grandes motivos da obsessão do público por Bridgerton é a estratosférica química nas cenas de sexo da série. Apesar da segunda temporada prometer ser “mais drama, menos sexo”, as cenas quentes não vão deixar de acontecer (pode agradecer).

Mesmo com toda a experiência, fica sempre a dúvida sobre como lidar bem com cenas tão íntimas na hora de atuar. Em entrevista ao The Sun, Jonathan afirmou que o mais importante na execução desse tipo de cena é a segurança. Por isso, com sua parceira de cena em Bridgerton, Simone Ashley, o britânico tentou criar o ambiente mais confortável possível. Para ela (fofo).

“Para um homem, é menos exposto. Eu queria ter certeza de que Simone se sentia segura como uma novata no set”, disse.

Apesar de estar chamando atenção do público por sua beleza e ser considerado galã, ele rejeita o rótulo de símbolo sexual e afirma não se enxergar como tal. Em entrevista à revista GQ, a palavra que Jonathan usou para descrever atores que se acham símbolos sexuais foi: cringe.

Jonathan Bailey
O ator não gosta do rótulo de símbolo sexual
Sexualidade escondida

Para quem não está se aguentando de curiosidade para saber a orientação sexual do rapaz, fica a informação: Jonathan é assumidamente gay. Em 2018, Bailey falou sobre sua sexualidade em entrevistas para o The Times e para a revista Attitude.

Apesar de hoje ser bem resolvido e feliz com sua orientação, o ator passou grande parte de sua carreira a escondendo por pressão e medo de perder papéis importantes como consequência disso.

Em seu perfil na QG, o artista relembrou que tudo começou com uma dica (para lá de disfuncional) que um amigo deu quando ele foi fazer um teste piloto e o deixou desestabilizado e inseguro: “Há duas coisas que não queremos saber: se você é alcoólatra ou se é gay”.

Por conta disso, além do medo de prejudicar sua carreira com algo tão natural quanto sua sexualidade, Jonathan passou a pensar que, para ser feliz, precisaria ser heterossexual. Até que, um tempo depois, decidiu colocar sua felicidade em primeiro lugar e se assumir.

0

“Eu preferiria segurar a mão do meu namorado em público ou ser capaz de colocar minha própria foto no Tinder, e não me preocupar tanto com isso do que conseguir um papel”, afirma.

Curiosidades

Para a alegria dos curiosos de plantão, Jonathan abriu um pouco mais sobre sua vida, seus gostos e curiosidades aleatórias em uma entrevista para a Harper’s Bazaar do Reino Unido, que rendeu um vídeo intitulado What you don’t know about me (O que você não sabe sobre mim).

Desde o seu guilty pleasure (termo em inglês para prazer culposo, que descreve algo que, apesar de gostarmos, sabemos que não é lá algo muito valorizado pela maioria) até seu primeiro crush, o ator entrega tudo com muita simpatia e humor. Confira — e se apaixone ainda mais:

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias