Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Caso Epstein: prisão de Ghislaine Maxwell deixa príncipe Andrew encurralado

Mentor de Jeffrey Epstein disse que Ghislaine estava convencida de que jamais seria presa. Ela pode pegar 35 anos de prisão

atualizado 07/07/2020 12:57

Principe Andrew, Virginia Giuffre e Ghislaine MaxwellReprodução/Instagram

A socialite Ghislaine Maxwell era nome garantido na lista de convidados de grandes eventos sociais nos quatro cantos do mundo. Bem relacionada, a britânica apresentou o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton e o filho da rainha Elizabeth príncipe Andrew ao ex-namorado, o financista Jeffrey Epstein. Juntos, o casal comandou um esquema de pirâmide sexual de menores de idade. Ghislaine era quem atraía as adolescentes para serem abusadas. Ela foi presa na manhã de quinta-feira (2/7).

Desde a detenção de Epstein em julho passado, Ghislaine estava foragida da Justiça norte-americana. Como esconderijo, ela buscou uma casa na montanha em Bradford, no estado norte-americano de New Hampshire. Ela foi capturada por, pelo menos, seis agências policiais dos EUA.

De acordo com o The Guardian, a descoberta do paradeiro de Ghislaine deu fim, de modo cinematográfico, à vida criminosa da britânica. Um dos argumentos usados pelos promotores para manter a socialite presa é a sua fortuna. Nos últimos anos, ela teve acesso a mais de US$ 20 milhões, o equivalente a R$ 106 milhões, em 15 contas bancárias.

Segundo a NBC, Ghislaine foi transferida para Nova York na manhã desta segunda-feira (6/7) e a audiência de detenção ocorrerá sexta-feira (10/7). No tribunal, ela enfrentará quatro acusações de colaboração com o tráfico de menores de idade para atividade sexual e dois por perjúrio (falso juramento). Se condenada, poderá passar até 35 anos na cadeia.

Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell
Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell. Associada do magnata, ela também fazia parte do esquema de exploração sexual de menores de idade
Realeza envolvida

Ghislaine já deveria ter se apresentado diante de um juiz, contudo houve atraso no caso. Um dos motivos? A intensificação da pressão sobre o príncipe Andrew em cooperar com os investigadores do FBI. A pedido da Justiça dos Estados Unidos, o filho da rainha Elizabeth foi convidado a depor pelo escândalo de exploração sexual. As autoridades requisitaram a presença do duque de York em junho, mas, até agora, ele não se apresentou.

Com a prisão e um possível acordo judicial firmado por Ghislaine, o príncipe Andrew está “apreensivo e nervoso”, segundo as manchetes de portais de notícias europeus. Em declarações feitas ao The Sun, o mentor de Epstein, Steven Hoffenberg, revelou que a socialite “vai cooperar completamente” com a Justiça. Durante a entrevista, ele insinuou que o filho de Elizabeth “está muito preocupado” com qualquer decisão tomada por Ghislaine:

“Muitas pessoas poderosas foram mencionadas [pelo envolvimento no escândalo] e ela sabe tudo”, sustentou o empresário.

Hoffenberg tem mantido contato com um representante da ex-namorada de Epstein. O empresário disse que Ghislaine estava convencida de que jamais seria presa. “Definitivamente, é alguém que eu conheço muito bem. Sou capaz de articular como se sente neste momento. A tragédia em que está envolvida é horrível. Se a mantiverem presa, ela vai ceder em dois segundos”, ressaltou o mentor ao The Sun.

Rainha Elizabeth e o príncipe Andrew
Rainha Elizabeth e o príncipe Andrew

Em contrapartida, uma amiga de Ghislaine afirma que o nome do príncipe não será mencionado caso haja um acordo. “Ela sempre me disse que nunca diria nada sobre ele”, revelou a jornalista e ex-corretora Laura Goldman ao programa Today, da NBC. Os laços de amizade entre o filho da rainha Elizabeth e a socialite ficaram mais fortes com a morte de Robert Maxwell, pai de Ghislaine, em 1991.

Novo lar

Mesmo mantendo uma vida secreta, a socialite não abdicou de desfrutar do luxo e da sofisticação. Comprada por uma empresa de fachada no valor de US$ 1 milhão, a propriedade remota em que Ghislaine foi encontrada traz como apelido Tucked Away (escondido, em tradução do inglês). Feita com estrutura de madeira, a casa integra quatro quartos, lareira de pedra, lustre majestoso e uma floresta densa ao redor.

“Descobrimos que ela havia se deslocado para uma propriedade deslumbrante em New Hampshire, continuando a viver uma vida de privilégios enquanto suas vítimas viviam com o trauma infligido a elas anos atrás”, disse William Sweeney, diretor-assistente encarregado do FBI em Nova York.

Passado

Atualmente com 58 anos, Ghislaine Maxweel é a caçula dos sete filhos de Betty e Robert Maxwell, grande empresário da comunicação. Aos 20 anos, a britânica montou um negócio de presentes corporativos e apareceu em colunas de fofocas por ser considerada a queridinha do papai. O magnata chegou a batizar um iate cotado em 15 milhões de libras de Lady Ghislaine.

Em novembro de 1991, a vida da socialite deu uma reviravolta. Seu pai morreu aos 68 anos após “cair ou ser empurrado” do milionário iate, conforme explicou o The Guardian. As polêmicas envolvendo Robert surgiram com o tempo. O grande empresário apropriou-se de forma fraudulenta dos fundos de pensão dos próprios funcionários. Ao todo, o valor atingia a marca dos US$ 460 milhões. Hoje, o golpe ultrapassaria a casa dos R$ 2,4 bilhões.

Donald Trump, Melania Trump, Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell
Donald Trump, Melania Trump, Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell

À época, Ghislaine também terminou o relacionamento com o conde Gianfranco Cicogna, poderoso de um grupo hoteleiro. Diante do alvoroço com o sobrenome da família, ela decidiu ir para Nova York e, em uma festa em 1992, conheceu o financista Jeffrey Epstein. Amigos do casal contam que os dois logo tornaram-se confidentes e a base do relacionamento era a troca social.

Anfitriã nata, Ghislaine costumava sediar eventos em Londres, porém os promovidos na Big Apple atraíam grandes personalidades, como Elon Musk. “É preciso lembrar que todos esses homens são altamente inteligentes, ambiciosos, mas com poucas habilidades sociais e nenhuma entrada na sociedade”, revelou um conhecido ao The Guardian. A socialite foi a responsável por incluir Jeffrey Epstein na elite norte-americana.

Segundo o jornal britânico, o que pôde ter aproximado Jeffrey e Ghislaine foi o desejo dela em ser piloto de helicóptero. O financista acumulava duas aeronaves. Anos depois, documentos comprovaram que o milionário adquiriu outro helicóptero por US$ 4 milhões e apelidou de Air Ghislaine 2.

Principe Andrew, Virginia Giuffre e Ghislaine Maxwell
Uma das provas de Virginia Giuffre é a fotografia em que o príncipe Andrew a abraça. Ghislaine surge ao fundo

Ao longo do namoro que, segundo fontes, evoluiu para amizade íntima e assistência pessoal, a socialite apresentou o duque de York, o príncipe Andrew, em 1999. Meses depois, os bons amigos visitaram o retiro privado da rainha Elizabeth, em Aberdeenshire, e assistiram juntos ao desfile de Ralph Lauren. Epstein e Ghislaine chegaram a participar de uma festa de aniversário da soberana no castelo de Windsor, em 2000.

Quando o escândalo de tráfico e exploração sexual de Jeffrey Epstein veio à tona, Ghislaine e o príncipe Andrew negaram qualquer envolvimento. Uma das vítimas, Virginia Giuffre alega que foi abusada pelo filho da rainha, aos 17 anos. O esquema comandado pelo magnata pedófilo com auxílio da socialite virou documentário da Netflix.

Intitulado Filthy Rich (Poder e Perversão, em tradução do inglês), a série mostrou a estrutura dos crimes e deu voz às vítimas à época menores de idade. Algumas delas tinham 14 anos. Epstein cometeu suicídio na prisão de Manhattan em agosto, enquanto aguardava julgamento por acusações de tráfico sexual. Abaixo, o trailer do seriado:

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias