Os desafios de ser mãe e estudar para concurso público

Veja dicas simples para ajudar concurseiras a tornar o sonho possível mesmo com crianças pequenas em casa

HBR/DIVULGAÇÃOHBR/DIVULGAÇÃO

atualizado 12/05/2019 13:42

As garantias que o setor público oferece enchem ainda mais os olhos das concurseiras que são mães. Horários de trabalho mais flexíveis, licença-maternidade estendida e a possibilidade de auxílios para creche ou educação das crianças são uma motivação complementar para se preparar para as provas.

Conciliar os cuidados com os pequenos e os estudos esbarra em um grande desafio: o tempo. Mais do que qualquer outro perfil de concurseiros, as mães precisam desenvolver habilidades ainda mais elaboradas para sua gestão do tempo, afinal, crianças são imprevisíveis, demandam muita atenção e dedicação e qualquer planejamento engessado será sinônimo de fracasso se elaborado e executado como quem tem horários fixos ou pré-definidos.

Há algum tempo, as mulheres representam um número maior de inscritos nos concursos públicos. Parte do entusiasmo vem do que poderão oferecer aos filhos quando se tornarem servidoras públicas. Inclusive, algumas condicionam a gravidez à posse.

No Dia das Mães, a coluna Vaga Garantida lista dicas preciosas para ajudar as mamães concurseiras a estudarem sem que os estudos se tornem motivo de estresse.

1 – Consciência das limitações
Sem dúvida, o primeiro passo para uma concurseira que tem filhos – principalmente se forem pequenos – é entender que a sua disponibilidade de tempo e de energia para o projeto de se tornar servidora pública é limitado e irregular. Não há qualquer mal nisso, apenas a clareza de que o concurso não será o primeiro da lista de prioridades e, consequentemente, exigirá mais paciência consigo mesma e com sua realidade.

2 – Tenha tempo para ficar com a família
O dilema de estar com a família e se sentir culpada por não estudar ou estar estudando e ter a sensação de que está perdendo um tempo precioso com as crianças é algo que mina as energias e promove pensamentos e emoções muito negativas. Um terreno fértil para a autossabotagem que pode transformar a preparação para as provas um verdadeiro pesadelo.

3 – Tempo para si mesma
A ideia de que, ao ser mãe, todas as horas que poderiam ser suas deixam de existir não pode ser perpetuada. O descanso se torna ainda mais valioso nessa fase da vida. Distribuir a responsabilidade com o pai ou negociar ajuda com outras pessoas da família pode aliviar a alta carga e possibilitar que o concurso caiba nos planos diários.

4 – Saber aproveitar brechas
As longas horas de dedicação às aulas e às leituras são artigos de luxo para as mamães. Por isso, saber fracionar os momentos de aprendizado em tempos menores para poder encaixar ao longo do dia, durante o sono da criança ou o horário que está na escola, por exemplo, é uma maneira mais realista de cumprir o cronograma dos conteúdos programáticos.

5 – Alta capacidade de flexibilizar o estudo
A flexibilização da grade horária é outro trunfo. Nunca se sabe quando o bebê terá dificuldade de dormir ou precisará de cuidados mais próximos por se sentir mal. Associar uma disciplina a um dia e horário específico é risco muito grande de descumprir o combinado.

Em contrapartida, o modelo cíclico, que define a ordem dos assuntos e das matérias tende a funcionar melhor. Assim, a estratégia é se vincular à sequência de execução do plano e não ao dia em que é realizado.

6 – Persistir, apesar dos obstáculos
Ninguém mais resiliente e persistente que mãe. É incrível a capacidade de encontrar soluções e se esforçar a ponto de, em alguns momentos, acreditar que há um misto de características humanas com superpoderes.

Como o modelo padrão de ser concurseiro nem de longe se encaixa, a solução é manter a criatividade sensível para encontrar alternativas que construam o caminho até a aprovação. Seguindo a regra de que mais importante que o formato é a qualidade do que se aprende e a quantidade de questões acertadas, várias podem ser as possibilidades de trilhar esse caminho.

7 – O maior incentivo é o futuro
O maior catalizador de todo esforço e dedicação de uma mãe concurseira é, sem dúvida, saber que em um futuro breve não vai se lembrar de noites mal dormidas ou das horas quebradas de estudo. A sensação de dever cumprido e o doce gosto da vitória perdura por bem mais tempo que os dias corridos entre fraldas e livros.

O setor público reserva benefícios bastante atrativos, como creche instalada na própria instituição ou auxílio financeiro para que a servidora escolha onde deixar os filhos. Se estiverem na pré-escola, também é possível ter um benefício. A licença-maternidade é de até 180 dias e foi estendida também àquelas que adotam. Sem contar que há flexibilidade de horário, como no Judiciário, que é possível cumprir jornadas que ocupam meio período do dia.

SOBRE O AUTOR
Letícia Nobre

Jornalista especializada em concursos há mais de 10 anos. Desde 2012, ajuda candidatos de todo o país a lidar não só com suas emoções, mas também com o processo de organização, produtividade e aprendizagem usando técnicas de coaching.

Últimas notícias