Stranger Things chega à 3º temporada com protagonistas adolescentes

A sequência da série entra no ar nesta quinta-feira (04/07/2019) na Netflix

Netflix/DivulgaçãoNetflix/Divulgação

atualizado 04/07/2019 14:39

Stranger Things é, sem dúvidas, um produto com a cara da Netflix: feito por meio do algoritmo da plataforma, a produção virou um dos maiores virais do serviço de streaming. Nesta quinta-feira (04/07/2019), a série chega à sua terceira temporada, com a missão de atualizar a obscura trajetória de Eleven (Millie Bobby Brown) e seus amigos.

Novamente, a trama de Stranger Things se passará em Hawkins, uma pequena cidade do Meio-Oeste dos Estados Unidos. O local, que abrigava um laboratório, virou o ponto de passagem entre nossa realidade e o mundo invertido.

A terceira temporada mostra Will (Noah Schnapp), Lucas (Caleb McLaughlin), Max (Sadie Sink), Dustin (Gaten Matarazzo), Mike (Finn Wolfhard) e a médium Eleven adolescentes. E isso marca justamente uma mudança na série.

Anos 1980

Para além das referências aos anos 1980, como E.T. e Os Gonnies, Stranger Things 3 traz um ar familiar ao público, que acompanha as crianças virarem adolescentes a cada temporada. Esse tom “mais adulto” é o destaque desta sequência.

Porém, Stranger Things segue como uma série a respeito do sobrenatural: os amigos enfrentam os seres não humanos (e alguns humanos) que têm uma estranha obsessão em destruir o mundo que nós conhecemos. No entanto, amores, hormônios, ciúmes e outros sentimentos serão empecilhos nessa jornada.

“A El não sabe como usar seus poderes corretamente. Isso é o que ela testará nesta temporada. Obviamente, isso a levou a um estilo de vida diferente, com muito estresse pós-traumático. Mas ela está tentando voltar ao normal. Assim como qualquer outro adolescente, aprende a não ser o que as pessoas dizem e passar a ser ela mesma”, disse Milie Bobby Brown, em entrevista ao The New York Times.

Shopping

Boa parte da trama – histórias de amor e confrontos sobrenaturais – se passa no Shopping Starcourt. O centro comercial é a grande sensação da cidade de Hawkins em 1985 – ano no qual se passa a série.

Romances à parte, os conflitos com o mundo invertido são a força motriz do seriado. “Vibrante e charmosa, Stranger Things transforma a si mesma em uma convincente – e também familiar – aventura de verão em sua nostalgia carregada de neon sem perder os ricos relacionamentos que fazem a série cativante”, diz a definição do Rotten Tomatoes, site americano que reúne as principais críticas da imprensa.

“Uma grande parte de Stranger Things é precisar ter condições de, na sua mente, transformar uma pequena bola de tênis em um enorme monstro”, conta Noah Schnapp.

SOBRE O AUTOR
Luiz Prisco

Formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub), tem passagens pela redação do Correio Braziliense, com atuação nas áreas de gastronomia e entretenimento. Fez especialização em Jornalismo Digital no Instituto Internacional de Ciências Sociais (IICS). Estudou comunicação, sociologia e ciências políticas na Science Po Rennes, na França

Últimas notícias