Populares e perigosas: conheça as posições sexuais mais arriscadas

Estudo revela que algumas práticas, embora muito comuns, são as maiores responsáveis por lesões bastante dolorosas

IstockIstock

atualizado 19/05/2018 12:51

Sexo tem o poder de abalar as nossas estruturas – às vezes, literalmente. E, embora empolgação, ânimo e vigor geralmente sejam características bem-vindas entre os praticantes, se você e sua(seu) parceira(o) não estiverem bem sincronizados, os resultados podem ser… dolorosos. Procurando conscientizar as pessoas dos riscos envolvidos em uma atividade tão prazerosa, um recente estudo publicado pelo Journal of Impotence Research revelou quais posições sexuais são as mais propensas a causar acidentes.

A principal responsável por lesões durante a prática sexual é também uma das posições mais populares: cerca de 41% das fraturas penianas acontecem durante o popular doggy style. Em segundo lugar, outra modalidade bastante comum: papai e mamãe, causadora de 25% das ocorrências médicas.

O estudo foi feito no Reino Unido, com 90 pacientes que haviam sido diagnosticados com fraturas penianas. Os participantes da pesquisa tinham, em média, 39 anos.

Em matéria publicada no New York Post, a especialista em sexo Samantha Evans abordou de forma mais detalhada alguns dos riscos envolvidos para homens e mulheres nas posições em que mais ocorrem lesões. Confira abaixo.

De quatro

Para ela: Dependendo da velocidade da penetração, a fricção pode causar dores. Além disso, caso muito peso seja apoiado em suas costas, há risco de contusão.

Para ele: Se a prática estiver acontecendo em alta velocidade e sobre uma superfície instável, o pênis pode escorregar para fora da vagina e ser fraturado.

Papai e mamãe

Para ela: Risco de dor nas costas caso não haja apoio apropriado. Além disso, dependendo do ângulo, a penetração pode causar desconforto.

Para ele: Conforme angulação, força e vigor da penetração, há risco de fratura peniana.

Cavalgada

Para ela: Dependendo da velocidade e da posição das pernas, contusões podem acontecer.

Para ele: Durante a movimentação, o pênis pode escorregar para fora da vagina, havendo risco de fratura de acordo com a velocidade e o peso que for de encontro a ele, exposto.

SOBRE O AUTOR
Samir Mello

Formado em jornalismo pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub), em 2008, e em tradução pela Universidade de Brasília (UnB), em 2012. Mestre em Audiovisual Translation and Popular Culture pela City University of London, curso finalizado em 2017. Já passou pelas redações do Jornal de Brasília e Correio Braziliense, atuando nas áreas de Esportes, Cultura e On-Line.

Últimas notícias