Saiba cinco hábitos diários que podem fazer mal à sua “pepeca”

Ginecologista explica que não cuidar bem da vagina pode interferir não só na saúde, mas também no prazer sexual feminino

atualizado 08/08/2020 18:17

Vagina Foto: Dainis Graveris/Unsplash

Na quarentena ou em tempos normais; em dias bons ou ruins; estando solteira ou em um relacionamento. Seja qual for a situação, existe algo que está sempre acompanhando as mulheres: suas vaginas.

E mesmo sendo tão companheira e também o primeiro órgão que vem à cabeça quando se fala de prazer feminino (ainda que ele não esteja concentrado apenas nela), as mulheres, muitas vezes, não cuidam bem de suas genitálias.

Muitas vezes, atitudes que se têm no dia a dia e parecem inofensivas podem afetar a saúde vaginal, e consequentemente a qualidade sexual delas. Para ajudar a mulherada a manter a “pepeca” bem cuidada diariamente, Giórgia Pasquali, ginecologista da plataforma Sexo Sem Dúvida, lista cinco atitudes que devem ser descontinuadas:

1 – Usar protetores absorventes diários

“Eles fazem com que haja acúmulo de umidade e não deixam a pele e a vagina respirar. O mesmo vale para o uso de roupas apertadas, calcinhas com tecido sintético, ou manter a roupa molhada por muito tempo, como no caso dos biquínis e roupas de ginástica. A umidade é um ambiente propício para a proliferação de fungos e bactérias, e infecções fúngicas podem causar dor na relação sexual e interferir no prazer”.

2 – Segurar xixi

“Quando urinamos, empurramos as bactérias para fora da uretra. A urina parada favorece o crescimento dessas bactérias na região. O recomendado é tentar urinar pelo menos com intervalo de quatro em 4 horas e ingerir bastante líquido durante o dia”.

3 – Não fazer xixi depois de transar

“Durante a relação sexual, ocorre a subida de algumas bactérias da pele e da região anal para dentro da uretra. Ao fazer o xixi, nós empurramos essas bactérias para fora e evitamos uma cistite. As cistites causam dores intensas no baixo ventre e podem levar a uma relação sexual desprazerosa”.

4 – Duchas vaginais internas

“Importante dizer que a própria vagina, por meio das secreções e do seu sistema de defesa local, faz a limpeza da região. Ao fazer a ducha, desequilibramos o pH vaginal, alteramos a flora vaginal e ainda levamos bactérias da entrada da vagina para dentro, favorecendo também as infecções. Deve-se fazer a higiene apenas externa, com delicadeza, e deixar que a natureza se encarregue do resto”.

5 – Usar sabonetes perfumados

“Estes sabonetes podem causar irritação da pele, que é mais sensível nesta região, alterar o pH e favorecer infecções. É importante usar sabonetes neutros, sem muito perfume. Não existe consenso quanto ao uso de sabonetes íntimos, pois, por terem pH mais ácido, podem ser um fator precipitador de infecções fúngicas para algumas mulheres. O uso de sabonetes neutros, de glicerina, ou ainda aqueles feitos para os bebês é mais indicado”.

Últimas notícias