Prova real? Algoritmo promete “conferir veracidade” de orgasmos femininos

Novidade foi duramente criticada por representante de marca de brinquedos sexuais e gerou polêmica nas redes sociais

Mulher nua suada e abraçada por um homemFoto:AleksandarNakic/Getty Images

atualizado 30/06/2020 18:02

A criação de um novo algoritmo tem causado polêmica nas redes sociais. A principal proposta do projeto, desenvolvido pela empresa Relida Limited, é “conferir a veracidade” dos orgasmos femininos.

O assunto veio à tona por meio de uma publicação no Twitter de Stu Nugent, gerente da Lelo, marca de brinquedos sexuais. Stu compartilhou imagens de uma apresentação com as principais informações do algoritmo.

No “exposed”, o gerente se mostrou indignado com a proposta. “Recebi uma apresentação de uma start-up de tecnologia sexual para o bem-estar feminino (cinco caras), que pode ‘confirmar’ e ‘validar’ orgasmos femininos e poderia ajudar a minha empresa a desenvolver melhores brinquedos sexuais”, disse.

Em comunicado à BBC, a Relida respondeu alegando que não esperava uma divulgação precoce, uma vez que o produto ainda está no papel.

Como justificativa para a proposta, a empresa afirmou que “não há evidências que comprovem a ocorrência do orgasmo feminino”, e que o principal parâmetro da análise seria uma mudança no ritmo cardíaco durante o clímax.

Últimas notícias