Celebridades, subcelebridades e tudo sobre televisão de maneira ácida e divertida.

Ludmilla reage a ataques racistas e pede justiça a culpados: “Nossa luta”

A cantora disse que vai continuar a denunciando e procurando justiça para culpados de crime racial

atualizado 18/06/2020 10:09

cantora Ludmilla posa @ludmilla/Instagram/Reprodução

Ludmilla voltou a falar sobre os ataques racistas que vem recebendo nas redes sociais nos últimos dias. Em um post no Instagram, nessa quarta-feira (17/06), a cantora disse que vai continuar denunciando as pessoas que cometerem o crime.

“Não vai ser a primeira e, infelizmente, nem a última vez que terei que lidar com comentários racistas e respondê-los. E para quem insiste em me atacar desta forma, só tenho uma coisa a dizer: não vou me esconder. Continuarei falando e denunciando, buscando justiça para os culpados. Tenho plena consciência do lugar que ocupo e do alcance da minha voz. E, justamente por isso, aprendo cada dia mais e não me calarei”, declarou.

Ludmilla ainda falou sobre racismo estrutural e cobrou de seus seguidores atitudes e não só palavras. “Já ficou bem claro que não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Você ouve nossa música mas, e no dia a dia, onde estão seus amigos pretos? Com quantos pretos você convive? Como você contribui para mudar esse sistema – porque, sim, o racismo é estrutural”, explicou.

0

A funkeira também falou do apoio que tem recebido. “Para cada ofensa racista, eu encontro pelo caminho pessoas incríveis e que me inspiram nessa nossa luta. E é por isso que eu continuarei usando a minha voz para denunciar, para cobrar justiça, para seguir adiante e de cabeça erguida.”, completou.

Lud já havia comentado sobre o crime em seu Twitter, na segunda (15/06). Uma pessoa se referiu à cantora como “neguinha nojenta” e disse que ela precisava “de umas belas chicotadas”. Ela logo rebateu: “Vou enfiar o chicote no teu cu, racista”.

View this post on Instagram

Não vai ser a primeira e, infelizmente, nem a última vez que terei que lidar com comentários racistas e respondê-los. E para quem insiste em me atacar desta forma, só tenho uma coisa a dizer: não vou me esconder. Continuarei falando e denunciando, buscando justiça para os culpados. Tenho plena consciência do lugar que ocupo e do alcance da minha voz. E, justamente por isso, aprendo cada dia mais e não me calarei, seja sobre o racismo que acontece comigo seja sobre aquele que vejo dia a dia com os meus. Já ficou bem claro que não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Você ouve nossa música, mas e no dia a dia, onde estão seus amigos pretos? Com quantos pretos você convive? Como você contribui para mudar esse sistema – porque, sim, o racismo é estrutural. Nosso sistema foi construído em cima dele. E não, só postar quando convém não é o que vai mudar de fato nossa sociedade. Se você se cala diante da injustiça, você também está compactuando com ela. Para cada ofensa racista, eu encontro pelo caminho pessoas incríveis e que me inspiram nessa nossa luta. E é por isso que eu continuarei usando a minha voz para denunciar, para cobrar justiça, para seguir adiante e de cabeça erguida. Há muito a ser transformado e estou cada dia mais atenta para aprender, cobrar e agir para que todas essas mudanças aconteçam. – @linocasouza

A post shared by Ludmilla (@ludmilla) on

Últimas notícias