Jessica Alves fica enfurecida na TV ao ser chamada de “monstro” por médico

"Você não tem formas equilibradas, não tem beleza, é apenas um exagero", declarou o médico para a ex-Ken Humano, no programa ao vivo

atualizado 23/11/2020 10:27

Reprodução/Instagram

A brasileira Jessica Alves, apresentadora transexual que ganhou fama mundialmente como Ken Humano, se revoltou ao ser chamada de “monstro” durante um programa de TV ao vivo na Itália, o Live non E la D’urso.

Ela estava sendo homenageada na atração, que comemorava 1 ano desde o começo da transição de gênero dela, quando foi ofendida pelo médico e cirurgião plástico Dr. Pietro Lorenzetti, que criticou as cirurgias de Jessica.

0

“Você se olhou no espelho? O que está acontecendo agora é pior do que o que você fez para ser Ken. Você não tem formas equilibradas, não tem beleza, não há nada de feminino, é apenas um exagero. Tudo o que você fez te machuca fisicamente. Seu caminho cirúrgico é uma loucura”, disse o médico.

“Você não vai aos melhores médicos do mundo, porque pessoas sérias não fazem essas coisas horríveis. Cirurgiões plásticos sérios não criam tais monstros. Uma coisa é a transição, outra é transformar as pessoas em monstros. Eles estão loucos e você está louca. Sim, eu digo que você é um monstro. Eu nunca iria querer você como paciente”, declarou o cirurgião plástico.

Jessica ficou revoltada com o comentário e se levantou da cadeira e enfrentou o médico. “Você é um médico antiprofissional. Nenhum médico aparece na TV para me dizer que sou um monstro. Você não tem liberdade para fazer isso, não. Você que é um monstro, você é horrível. Vou te processar”, rebateu ela.

A ex-Ken Humano confirmou que irá processar o clínico. “O programa estava comemorando um ano da minha transição. E, durante a entrevista, tinha esse médico e, do nada, ele falou que eu sou um monstro fora de proporção, que eu sou muito grande. Lógico, levantei, me defendi, falei que monstro era ele e como ele tinha a audácia de me chamar de monstro. Eu não sou perfeita, nem quero ser, mas cada um tem seu biotipo. Eu já falei com meus advogados e vou processá-lo. O programa era ao vivo, não era gravado. Ninguém merece ser ofendida dessa forma e foi muito antiprofissional vindo de um doutor”, disse à revista Quem.

Últimas notícias