TJDFT confirma proibição: Sinpro não pode divulgar campanha contra GDF

Em nova decisão, desembargador da 2ª Turma Cível manteve deliberação anterior, que prevê multa de R$ 500 mil em caso de descumprimento

ReproduçãoReprodução

atualizado 04/04/2018 20:49

A 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) confirmou, nesta quarta-feira (4/4), a suspensão definitiva da propaganda “E agora, Rodrigo?” e a interrupção da distribuição de cartilhas que estavam sendo entregues em escolas pelo Sindicato dos Professores (Sinpro-DF).

A proibição já havia sido determinada em fevereiro deste ano, pela 14ª Vara Cível do TJDFT, mas o sindicato recorreu.

A queda de braço entre o governador Rodrigo Rollemberg e o Sinpro-DF tem rendido inúmeros capítulos. Após a decisão de proibir a peça e ainda obrigar o recolhimento imediato do material, a Justiça retifica a deliberação da Corte e sustenta que “o teor não promove qualquer debate isento de crítica à atual gestão governamental”.

A multa para o descumprimento da ordem judicial é R$ 500 mil.

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias