Parte do teto de três órgãos do GDF despenca após tempestade

Secretarias de Saúde e de Ciência e Tecnologia foram as mais afetadas. Escola de Governo também calcula prejuízos com inundação

Reprodução / WhatsAppReprodução / WhatsApp

atualizado 07/11/2019 15:59

Pelo menos três órgãos públicos do Governo do Distrito Federal (GDF) registraram grandes prejuízos após a tempestade ocorrida na manhã desta quinta-feira (07/11/2019) em Brasília.

As secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação e a de Saúde foram inundadas pelas águas da chuva e registraram perda de equipamentos, como computadores e aparelhos de ar-condicionado.

Já na Escola de Governo (Egov), parte do teto despencou após uma infiltração chegar ao forro. De acordo com o Palácio do Buriti, apesar dos estragos, não houve registro de feridos.

O Metrópoles teve acesso às imagens que foram compartilhadas no grupo de WhatsApp do primeiro escalão do governo local. No material, é possível saber o tamanho dos estragos causados em decorrência do clima chuvoso (veja abaixo). Servidores denunciam a falta de repasses financeiros para serviços de manutenção preventiva para evitar esse tipo de ocorrência nos prédios públicos .

Veja a situação da Secretaria de Ciência e Tecnologia:

Embora questionado, o GDF não informou o valor dos recursos para a manutenção dos órgãos afetados pela chuva. Apenas a Secretaria de Saúde informou que, neste ano, liberou R$ 35.127.928,60 para manutenção predial de toda a rede ligada à pasta. O palácio ainda calcula o valor do prejuízo.

Recentemente, em outro episódio de temporal, vários pedaços do teto da Secretaria de Saúde já haviam caído pelo efeito da força das águas. A sala precisou ser interditada e os servidores foram removidos para outro ambiente.

A pasta reconheceu que, no episódio desta quinta-feira, parte do forro de gesso de mais uma sala cedeu. “Todas as providências estão sendo tomadas e servidores foram remanejados para outros setores. Ninguém se feriu”, registrou em nota enviada à coluna.

Veja as imagens:

De acordo com a SES, “estão vigentes 11 contratos de manutenção predial, todos com disponibilidade orçamentária e cuja execução fica a cargo dos respectivos executores. A Secretaria de Saúde informa que, neste ano, foram destinados R$ 35.127.928,60 para manutenção predial de toda a rede pública”.

Também em contato com a reportagem, a Escola de Governo (Egov) disse que o teto da sala de informática e telefonia cedeu, embora não tenha registrado “maiores danos”. Segundo o órgão,  os estragos “não oferecem risco às atividade”. A instituição já solicitou reparo e argumenta que “realiza manutenções”.

A Secretaria de Ciência e Tecnologia não havia se manifestado até a última atualização da reportagem.

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias