Justiça rejeita argumentos de Izalci e mantém suspensa eleição do PSDB

Presidente regional da sigla tentava sustar efeito da liminar que impedia o pleito. Contudo, juiz negou pedido do comandante tucano

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 29/05/2018 20:16

O juiz Caio Brucoli Sembongi, da 17ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), decidiu manter suspensas as eleições do PSDB-DF previstas para ocorrer em 1º de junho. A determinação ocorreu na tarde desta terça-feira (29/5).

O presidente da sigla, Izalci Lucas, tentava sustar os efeitos da liminar concedida pelo magistrado após pedido de Lucas Chaves Siqueira Arcanjo – filiado à agremiação política –, que questionava na Justiça a legitimidade do processo de convocação para a escolha do novo diretório. Na defesa, Izalci explicou que as decisões tomadas eram respaldadas pela Executiva Nacional da legenda.

Além disso, conforme o recurso afirmava, o parlamentar era “vítima de perseguição” por filiados do partido e a possível candidatura do tucano já reunira nove agremiações que o apoiavam, incluindo “os senadores José Antônio Reguffe e Cristovam Buarque”.

Embora Cristovam, de fato, tenha declarado apoio a Izalci, ao Metrópoles, Reguffe desmentiu a declaração do peessedebista.

Na decisão, o juiz desconsiderou a argumentação da defesa do atual comando do ninho tucano e acolheu o pedido do filiado sobre o suposto equívoco a respeito da escolha de data para a realização das convenções.

“O edital de convocação dessa convenção deve ser publicado com antecedência de 25 dias em relação ao ato. Mas, ao contrário do que quer o réu, mesmo em não se tratando de prazo processual, o prazo deve ser contado com exclusão do dia inicial e inclusão do dia final”, registrou o magistrado.

Reprodução

 

Partido acéfalo
Antes mesmo de tomar conhecimento da decisão, contudo, o presidente do PSDB-DF disparou e-mail para convocar os filiados a uma nova reunião, no dia 4 de junho – portanto, três dias após a data escolhida para a convenção. Entre os itens da pauta, o cacique tucano discutirá, mais uma vez, a nova ocasião para eleições internas.

O impasse agora é sobre a legitimidade da convocação. Militantes afirmam que o mandato de Izalci Lucas como presidente regional da sigla terminaria no próximo dia 1º.

Izalci Lucas disse que o advogado irá avaliar a decisão, mas não sabe ainda se irá recorrer. Agora, segundo o parlamentar, a Executiva Nacional irá intervir para o diretório não ficar sem comando. A expectativa de Izalci é ser reconduzido para a chefia da sigla no Distrito Federal. “A Executiva Nacional, de acordo com o estatuto, tem a competência para agir”, concluiu.

SOBRE OS AUTORES
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Isadora Teixeira

Formada pelo Centro Universitário Iesb, atua como repórter do Metrópoles desde 2017. Na editoria de Cidades, cobre assuntos políticos relacionados ao Distrito Federal

Últimas notícias