Ibaneis pede pressa em MPs da Junta Comercial e Região Metropolitana

Governador esteve com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, nesta quarta-feira (20/3) para conversar sobre propostas de interesse do DF

Renato Alves / Agência BrasíliaRenato Alves / Agência Brasília

atualizado 20/03/2019 14:52

Para discutir pauta de interesse do Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha (MDB) esteve nesta quarta-feira (20/3) com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). É a primeira vez, após a eleição da Mesa Diretora da Casa, que os dois políticos se reúnem para tratar de assuntos oficiais.

O emedebista busca apoio do democrata para aprovação definitiva de duas medidas provisórias, ambas enviadas ao Congresso Nacional pelo ex-presidente Michel Temer (MDB): uma prevê a transferência da Junta Comercial — até então subordinada à área federal — para o GDF; e a outra cria a Região Metropolitana de Brasília.

“Uma traz justiça para o DF, já que éramos a única unidade Federativa em que a Junta Comercial era do Governo Federal e não do Estado. Então, essa transferência é muito importante para dar condições aos nossos empresários”, disse o emedebista.

A outra MP é a que altera o Estatuto das Cidades e possibilita a criação da região metropolitana, que de fato existe, mas não de direito. “Nós temos hoje mais de três milhões de habitantes que vivem na Ride [Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno], mas não podemos ter projetos estruturantes com os estados vizinhos. Então, a partir da aprovação da MP, vamos trabalhar com Minas e Goiás de forma conjunta”, explicou Ibaneis.

De acordo com o titular do Palácio do Buriti, o pedido foi bem recebido pelo presidente do Congresso Nacional. “Ele entendeu bastante e ficou de conversar com os governadores e senadores, de forma que a gente tenha a aprovação mais rápida possível”, completou.

O governador também falou sobre a reunião do Fórum dos Governadores, agendada para o próximo dia 26, em Brasília, onde serão tratados assuntos como valores devidos pela União aos estados e municípios e fundos contingenciados. “O ministro Paulo Guedes (Economia) está empenhado em ajudar os estados”, falou, citando o pacto federativo.

Após o encontro com Alcolumbre, o governador do DF foi questionado sobre a reforma da Previdência, Ele disse que a proposta enviada pelo Planalto precisa de ajustes, principalmente no que diz respeito aos servidores estaduais. lembrou que existe um passivo bilionário a ser resolvido. (Colaborou Larissa Rodrigues)

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias