GDF estuda cronograma para reabertura de academias, bares e restaurantes. Confira

Datas ainda dependem do controle das infecções pelo coronavírus demonstrado pelos gráficos criados pelo gabinete de monitoramento da doença

Governador do DF, Ibaneis RochaMICHAEL MELO/METRÓPOLES

atualizado 29/06/2020 16:02

O governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou nesta segunda-feira (29/06) o calendário com a previsão da retomada dos serviços que ainda não obtiveram permissão para voltar a funcionar no Distrito Federal.

Cabe ressaltar que  cronograma é apenas uma estimativa e vai depender ainda do cenário de impacto da Covid-19 na capital federal, como a capacidade de internação nas redes pública e particular de saúde.

“Mandei abrir os estudos com estas datas. Agora, cada área vai analisar em cima do calendário”, disse o governador ao Metrópoles.

A depender do controle gráfico das infecções pelo novo coronavírus, salões de beleza e academias já poderão reabrir com restrições a partir do próximo dia 07 de julho (terça-feira).

Ainda segundo o titular do Palácio do Buriti, no dia 15 de julho (quarta-feira), será a vez de bares e restaurantes colocarem em prática o protocolo de segurança para voltarem a funcionar no Distrito Federal.

Na última semana do mês, no dia 29, as escolas – tanto públicas quanto particulares – podem restabelecer as aulas presenciais, dentro de todos os critérios analisados pelo Governo do Distrito Federal (GDF).

0
Protocolos

Desde o início da pandemia, o governador Ibaneis Rocha tem recebido representantes dos setores organizados da sociedade para encontrar uma saída a fim de retomar as atividades econômicas sem o risco de proliferação da Sars-Cov-2.

Protocolos rigorosos foram apresentados ao chefe do Executivo para a reabertura do comércio, como distanciamento entre pessoas, higienização interior constante e aferição de temperaturas de trabalhadores e clientes.

Embate jurídico

A retomada das atividades gerou um embate jurídico entre o GDF e os ministérios públicos Federal (MPF), do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e do Trabalho (MPT). Desde que o Executivo local passou a liberar gradualmente as atividades, os promotores e procuradores tentaram barrar as decisões na Justiça.

Recentemente, a Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF) conseguiu derrubar a liminar da juíza federal Kátia Balbino que impedia novas reaberturas. Contudo, o MPF recorreu da decisão na instância superior da Justiça Federal. O pedido ainda não foi analisado.

Últimas notícias