FNDE decide suspender Fies de universidade investigada pela PF

Órgão decidiu instaurar processo administrativo para apurar os indícios de irregularidades na concessão do benefício após operação policial

Reprodução/JCNETReprodução/JCNET

atualizado 03/09/2019 20:42

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) decidiu instaurar, nesta terça-feira (03/09/3019), processo administrativo para apurar os indícios de irregularidades na concessão do Financiamento Estudantil do Governo Federal (Fies) no município de Fernandópolis (SP). Além disso, o órgão federal também suspendeu, de forma cautelar, a participação da instituição investigada em novas liberações do benefício, “até que a sindicância seja concluída”.

De acordo com o FNDE, os contratos firmados irregularmente também serão cancelados e os valores pagos indevidamente serão cobrados da instituição, informou a assessoria. A ação cirúrgica ocorre horas após a Polícia Federal ter realizado, na manhã desta terça-feira (03/09/2019), a Operação Vagatomia para combater esquema de fraudes do Fies no município paulista. De acordo com a PF, há indícios de comercialização de vagas e transferência de alunos do exterior — principalmente do Paraguai e da Bolívia — para o curso de medicina.

Agentes investigam ainda supostas fraudes no Programa Universidade para Todos (Prouni) e no exame Revalida.  O dono da Universidade Brasil, José Fernando Pinto da Costa, de 63 anos, e outras 18 pessoas foram presas. De acordo com a Polícia Federal, nos últimos cinco anos, aproximadamente R$ 500 milhões do Fies e Poruni foram concedidos de forma fraudulenta.

Os investigadores calculam que milhares de alunos carentes por todo o Brasil podem ter sido prejudicados em razão das fraudes com entidades particulares.

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias