">
*
 
 

Após o desfile de 7 de Setembro, o presidente da República, Michel Temer, participou de um “almoço de lazer”, segundo definição de assessores, na Residência Oficial da Câmara dos Deputados. Embora o anfitrião fosse o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), o cardápio coube ao deputado Heráclito Fortes (PSB-PI). Ele comandou o preparo da dobradinha servida à base aliada.

Por volta das 17h45, os convidados deixaram a residência oficial. O único a falar com a imprensa foi o ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy. Segundo o tucano, o almoço foi “apenas uma conversa entre amigos”, na qual se falou sobre a recente viagem de Temer à China, o desfile do 7 de Setembro e a recuperação da economia.

O presidente Temer, que chegou a cogitar falar com os repórteres, desistiu de dar um pronunciamento e seguiu direto para o Palácio do Jaburu.

Joesley Batista
Enquanto Temer e alguns aliados almoçavam, delatores do grupo JBS estavam na Procuradoria-Geral da República. O empresário Joesley Batista, o diretor da empresa Ricardo Saud e o advogado Francisco Assis prestavam depoimento sobre as novas gravações entregues à PGR.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, abriu o procedimento de revisão do acordo após analisar uma gravação em que Joesley fala sobre a orientação de Marcelo Miller, ex-procurador que atuou na Operação Lava Jato, para que fosse celebrado o acordo com a PGR (PGR). Miller deve ser ouvido por Janot na sexta (8).

Nos próximos dias, o Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir se os benefícios concedidos a Joesley e cia. serão anulados, uma vez que, aparentemente, os delatores mentiram nos depoimentos prestados inicialmente.

Carlos Carone/Metrópoles

Antônio Imbassahy: segundo o tucano, almoço foi “apenas uma conversa entre amigos”



Michel Temerbase aliadaJoesley Batistadelação da JBS
 


COMENTE

Ler mais do blog