Embaixada posta foto de almoço com Bolsonaro e tenta esconder cardápio

Registro foi feito pela representação de Israel no Brasil e causou reboliço nas redes sociais: "Por que pintaram os pratos?"

Reprodução / TwitterReprodução / Twitter

atualizado 07/07/2019 19:33

O perfil oficial da Embaixada de Israel no Brasil publicou no Twitter, neste domingo (07/07/2019), uma foto do embaixador Yossi Shelley com o presidente Jair Bolsonaro (PSL). A imagem é de um almoço realizado pela representação diplomática em homenagem ao titular do Palácio do Planalto, pouco antes do chefe do Executivo embarcar para assistir a final da Copa América, no Rio de Janeiro. Uma coisa, contudo, chamou atenção no registro fotográfico: houve uma tentativa de esconder o prato principal servido a Bolsonaro.

No texto publicado, a embaixada escreve: “Antes da final da Copa América entre Brasil e Peru, o presidente @jairbolsonaro e o @embaixadoryossi almoçaram juntos em Brasília. Eles irão acompanhar a partida desejando sorte para a seleção brasileira em busca de mais um título. Vai Brasil!!”

O borrão na foto não foi perdoado pelos internautas e logo rendeu comentários e brincadeiras na rede social. “Meu Deus! Vocês rabiscaram os pratos, meu Jesus amado”, escreveu um tuiteiro. “Que delícia essa LAGOSTA AO MOLHO DE PHOTOSHOP”, ironizou outra. Boa parte dos internautas afirma ter visto uma lagosta por debaixo da mancha preta, porém, o prato não foi confirmado.

Veja a repercussão:

Há um aparente motivo para a tentativa de disfarce do prato. É que, pela tradição milenar, judeus não comem lagosta e camarão. Na verdade, à exceção de peixes com escamas, nenhum fruto do mar é permitido na dieta. As chamadas leis da “kashruth” têm sua base na Torá, os cinco primeiros livros do Antigo Testamento da Bíblia. Porco e coelho, tidos como sujos, também não têm lugar à mesa judaica. Quanto às aves, as restrições são menores: pato, peru e pombo são proibidos.

 

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias