*
 
 

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) incluiu na pauta de propostas que serão analisadas em plenário o Projeto de Lei nº 2016/2018, que prevê a construção de novos espaços para sepultamento na capital. O primeiro artigo do PL autoriza a concessão de licença para a implantação de cemitérios particulares. A deliberação ocorreu nesta segunda-feira (13/05/2019), durante reunião do Colégio de Líderes, ocorrida na sala de reunião da presidência da Casa.

A matéria será analisada de forma rápida pelos distritais e, por isso, vai cumprir os ritos das comissões diretamente no plenário. A previsão é que a votação ocorra na terça-feira (14/05/2019). A pressa pela aprovação tem um motivo: quatro dos seis cemitérios do Distrito Federal atingirão a capacidade máxima em dois anos, conforme revelado pelo Metrópoles.

Com cerca de 490 mil pessoas sepultadas e média de 950 enterros por mês, a previsão é que somente famílias com jazigos já comprados consigam garantir espaço para seus entes falecidos.

As unidades de Taguatinga e Gama estão com as vagas esgotadas. Planaltina tem vida útil para mais seis meses. Agora, restam Asa Sul, Brazlândia e Sobradinho, que somam 2 mil túmulos disponíveis – cada um com três gavetas. Para pessoas da mesma família, existem 90 mil sepulturas livres.

De acordo com a proposta apresentada pelo Executivo, as empresas devem submeter-se às normas regulamentares impostas pelo Palácio do Buriti. Hoje, todas as unidades do DF atuam num sistema de concessão. Os cemitérios estão em áreas públicas, mas com administração privada.



 


Projeto de LeiExecutivoDFurgênciacriação de novos cemitérios