Delmasso renuncia à indicação para compor CPI do Feminicídio

Deputado era o representante do bloco DF Acima de Tudo e nome dos evangélicos para compor o grupo, mas alegou motivos pessoais

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 10/10/2019 19:24

Indicado pelo bloco DF Acima de Tudo, o deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos) renunciou à indicação para compor a Comissão Parlamentar de Inquérito do Feminicídio (CPI do Feminicídio) da Câmara Legislativa (CLDF). Delmasso, que é vice-presidente da Casa, alegou motivos pessoais para não participar do colegiado.

A CPI do Feminicídio entrou no radar do Palácio do Buriti nas últimas semanas e passou a ter maioria governista depois de movimentos políticos do Poder Executivo dentro da Casa. Delmasso – que presidiu a CPI da Pedofilia na legislatura passada – chegou a ser cotado para presidir os trabalhos.

Agora caberá ao bloco dele – formado por distritais evangélicos, em sua maioria – a indicação de outro nome. Mesmo com o prazo encerrado para a apresentação dos membros, nenhum parlamentar foi oficializado no Diário Oficial da CLDF até o momento.

SOBRE O AUTOR
Suzano Almeida

Formado em jornalismo pela Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas (Facitec/Estácio de Sá). Especializado na cobertura política do Distrito Federal. Passou por veículos como Jornal de Brasília, Grupo Comunidade, Fato Online, além de assessorias nos Poderes Executivo e Legislativo. No Metrópoles, atua em notícias da Câmara Legislativa e também em pautas nacionais, como a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o especial Transbrasil – Um embarque para o crime nas rodovias brasileiras, pelo qual foi premiado com o Prêmio CNT, em 2017.

Últimas notícias