Da bancada do DF, Reguffe surpreende com 6 votos ao comando do Senado

Senador brasiliense foi um dos seis candidatos à presidência da Casa e levantou bandeira de austeridade, transparência e corte de benefícios

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 02/02/2019 19:44

Embora tenha declarado ao Metrópoles que estava preparado para receber apenas o seu próprio voto, o senador José Antônio Reguffe (sem partido-DF) recebeu 6 votos na disputa para a presidência do Senado Federal, que ocorreu neste sábado (2/2). Um deles foi o da colega de bancada, Leila Barros (PSB), que declarou o voto.

O senador brasiliense reconhece que entrou na corrida para levantar bandeiras defendidas por ele, como redução de custos e de benefícios para os congressistas. Segundo ele, a Casa é proporcionalmente “uma das mais caras do mundo”. “Eu achava que eu ia ter menos votos”, disse Reguffe.

Mesmo com uma pauta que desagrada boa parte dos integrantes do Senado Federal, o congressista cumpriu o seu papel e ainda recebeu a adesão de outros 5 colegas de parlamento. Quando foi confirmado presidente da Casa, David Alcolumbre (DEM-AP) reconheceu a postura do concorrente e o chamou para dialogar sobre essas propostas.

Já é um bom começo…

SOBRE OS AUTORES
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Larissa Rodrigues

Formada em jornalismo pela Universidade Católica de Goiás (UCG), em 2010, e pós-graduada em Jornalismo Especializado pela Universidade Estácio de Sá, no ano de 2013. Em Goiânia, trabalhou na TV Band, foi apresentadora da Rádio Interativa e assessora de imprensa de políticos locais. Em 2015, mudou-se para Brasília, onde foi subeditora do portal Fato Online e cobriu as Olimpíadas de 2016. No Metrópoles, atua como repórter de Política Nacional e ganhou o 1º Prêmio dos Policiais Federais.

Últimas notícias