Concurso premia em R$ 4 mi projeto de urbanização do Mané Garrincha

Contrato foi assinado nesta quarta-feira (04/09) e prevê elaboração das regras de propostas apresentadas por arquitetos e urbanistas

Felipe Menezes/Especial para o MetrópolesFelipe Menezes/Especial para o Metrópoles

atualizado 04/09/2019 21:05

Um concurso promovido pela empresa Arena Bsb e o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) premiará em pelo menos R$ 4 milhões o projeto escolhido para a urbanização do complexo esportivo. No espaço, localizam-se o Estádio Nacional Mané Garrincha e o Ginásio Nilson Nelson.

O contrato foi assinado na tarde desta quarta-feira (04/09/2019) entre a entidade e o grupo empresarial responsável pela gestão da área. A iniciativa faz parte das exigências previstas na concessão pública do local, assinada no fim do mês de julho. Oficialmente, o concurso será lançado na próxima sexta-feira (04/09/2019).

O projeto arquitetônico inclui a construção do boulevard, espécie de centro comercial de até três andares a céu aberto que abrigará lojas, salas comerciais e áreas de lazer. A assinatura do documento autoriza, na prática, a organização da disputa. “Esse é um dos maiores concursos arquitetônicos contratados por empresa privada da história do IAB”, disse Richard Dubois, presidente da Arena Bsb.

Segundo Dubois, a parceria se prepara para receber dezenas de projetos que “espelharão pensamentos de arquitetos, urbanistas e engenheiros do Brasil”. As três melhores propostas passarão para a segunda fase da disputa pelo prêmio milionário.

“A gente espera dar para Brasília, de presente de Natal, o desenho do que será esse projeto. Como uma cidade bem planejada, Brasília se diferencia de outros grandes centros urbanos por esse grande planejamento. Não aceitaremos nenhum projeto que viole as características da capital”, frisou o presidente da arena.

35 anos

Única interessada a assumir o complexo esportivo, a Arena Bsb terá uma missão para os 35 anos à frente da gestão do espaço: criar condições competitivas para que a região se torne um negócio rentável. Assim, a empresa deverá investir quase R$ 700 milhões no empreendimento nos próximos quatro anos. Até o fim do ano, contudo, a administração será compartilhada com o Governo do Distrito Federal (GDF).

O consórcio responsável tem participação das empresas RNGD Consultoria de Negócios Ltda-EPP e Arena do Brasil Gestão de Estádios e Arenas Ltda. Ele passará a ter o controle total dos mais de 152 mil metros quadrados de potencial construtivo da região.

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias