Caciques nacionais decidirão o destino do Podemos nas eleições do DF

Partido não decidiu o caminho a seguir nas eleições de outubro, mas integrantes do diretório nacional garantem que palavra final é da cúpula

DIDA SAMPAIO/ESTADÃODIDA SAMPAIO/ESTADÃO

atualizado 12/06/2018 12:05

Com os acordos políticos cada vez mais próximos da definição para a campanha distrital, os partidos que ainda não decidiram por qual caminho seguirão passam a ser objeto de cobiça dos diferentes grupos ideológicos. Um deles é o Podemos, que recentemente perdeu o presidente local, Ronaldo Fonseca, para tornar-se ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Acéfala desde então, a sigla passou a sofrer impasses internos sobre a quem dará apoio para a candidatura ao Palácio do Buriti. A legenda está dividida entre o grupo que trabalha para a reeleição do atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), a ala que prefere seguir de mãos dadas com a aliança liderada pelo médico Jofran Frejat (PR) e ainda a chamada terceira via, que tem Izalci Lucas (PSDB) como possível cabeça de chapa.

A decisão, contudo, não será definida apenas pelo diretório regional. Integrantes da campanha do presidenciável da sigla, senador Álvaro Dias (foto em destaque), antecipam que a direção nacional terá palavra determinante sobre o destino do Podemos no DF. Alegam que, dentro das negociações, o natural é que o pré-candidato ao Palácio do Planalto consiga ter palanque na campanha local.

Nesse cenário, avaliam aliados do congressista, dificilmente o senador aceitaria deixar o partido erguer a bandeira do atual governador do Distrito Federal. A justificativa é “a conhecida rejeição local”.

SOBRE OS AUTORES
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Isadora Teixeira

Formada pelo Centro Universitário Iesb, atua como repórter do Metrópoles desde 2017. Na editoria de Cidades, cobre assuntos políticos relacionados ao Distrito Federal

Últimas notícias