Após problemas com aplicativo eleitoral, PTB-DF “garante” candidaturas

Falha no envio de nomes de recém-filiados à Justiça Eleitoral ameaçava novos postulantes do PTB. Partido já tranquilizou correligionários

Igo Estrela / MetrópolesIgo Estrela / Metrópoles

atualizado 26/07/2018 6:25

Os recém-filiados ao PTB no Distrito Federal foram pegos de surpresa com a notícia de que haveria risco de impugnação das candidaturas proporcionais da legenda. Antes de a notícia se espalhar, a direção da sigla informou ter havido problemas no sistema da Justiça Eleitoral (FiliaWeb) durante a transmissão das listas de filiados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas que o impasse já havia sido contornado. O envio é uma das exigências para a oficialização dos eventuais postulantes.

É por esse sistema que as filiações podem ser comprovadas junto aos tribunais regionais eleitorais (TREs). Um dos controles é se as datas de ingresso nas legendas estão de acordo com os prazos estipulados pela legislação eleitoral. No caso do PTB-DF, apesar de comprovantes terem sido emitidos, o cadastro não teria chegado à Corte. O problema envolveria apenas os novos petebistas.

Procurado pela coluna, o Tribunal Regional Eleitoral no DF afirmou não ter registrado instabilidade no FiliaWeb. “Não houve falha do sistema. As questões pontuais serão decididas, caso a caso, pelos juízes eleitorais”, informou. Dentro do partido, há entendimentos de que existem precedentes para garantir a candidatura de filiados enquadrados em situações semelhantes.

Além da candidatura de Alírio Neto (foto) como vice-governador na chapa de Eliana Pedrosa (Pros), o PTB-DF deve lançar 48 registros de pleitos, entre postulantes à Câmara Legislativa e à Câmara dos Deputados. Desse total, 25 podem ter sido alvo de problemas com o FiliaWeb. No Distrito Federal, a sigla tem cerca de 10 mil filiados, segundo recente atualização do TRE-DF.

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias