*
 
 

Marcado pelo tom de pré-candidato ao Palácio do Buriti, Alírio Neto (PTB) gravou um vídeo direcionado aos policiais civis para prometer que, se eleito governador, levará pessoalmente ao Palácio do Planalto e ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão ofício para solicitar a equiparação salarial da PCDF com a Polícia Federal. A reivindicação da categoria é antiga. Pelo teor, no entanto, o material acabou sendo criticado por outras classes da pasta da segurança pública.

“O meu projeto de governo na segurança pública está muito baseado na Polícia Civil e será necessário que a gente tenha um policial satisfeito e em condições de trabalho”, disse o petebista.

Dois fatos, no entanto, chamaram atenção de pseudo-aliados no discurso virtual do ex-deputado distrital. Alírio diz que o plano de governo é “muito” baseado na PCDF, o que irritou integrantes de outras categorias. O político também é delegado especial aposentado e, em franco “fogo amigo”, pessoas próximas a ele disparam: “Está legislando em causa própria?”.

Procurado, Alírio Neto reclamou que a frase foi tirada de contexto. “Meu projeto de governo é baseado nas polícias Civil e Militar. O vídeo foi direcionado para integrantes da PCDF, por isso falei diretamente com eles. Isso não significa que tenha deixado os PMs e os bombeiros fora dos meus planos. Preciso de todas as categorias para um bom governo”, disse à coluna. Alírio garantiu ainda que, se eleito para cargo eletivo, optará receber o salário de delegado especial aposentado. “Sempre tive essa conduta, desde que ocupo cargos públicos”.

O pré-candidato pelo PTB afirmou ainda que está preparado para o aumento das críticas com a proximidade das definições eleitorais.

Bate-rebate
Alírio aproveitou a revolta para disparar contra o possível aliado, Jofran Frejat (PR), que também tenta viabilizar o nome numa candidatura consensual. Ele reclama de recentes declarações do ex-secretário de Saúde, o qual acusou companheiros da possível aliança de terem “quebrado o acordo”. “O compromisso foi que, na segunda semana de março, colocaríamos uma pesquisa isenta na rua para descobrirmos quem está melhor colocado. Ou Frejat está esquecido do que realmente foi combinado ou está procurando uma desculpa para implodir o grupo”, disparou Alírio.

Com ou sem Frejat, o ex-distrital diz que decidiu seguir em frente. Apesar de não excluir a chance de novas conversas, Alírio deixa um recado claro, inclusive para outros possíveis coligados. “A partir de agora, serei como [o cantor] Roberto Carlos: eu só vou gostar de quem gosta de mim”, registrou, ao parafrasear o título do sucesso de 1967 do Rei.



 


internetPCDFAlírio Neto