*
 
 

Parece que o revival dos anos 1980 continua em alta neste outono/inverno 2018. Isso porque o excesso de brilho, cor, formas e a mistura de texturas foram os protagonistas nos primeiros dias da Semana de Moda de Nova York (New York Fashion Week, ou NYFW), nos desfiles de Jeremy Scott, Tom Ford, Adam Selman, Ulla Johnson e Juicy Couture – o último, inclusive, fez um retorno triunfal.

Para começar, estampas de animal print dominaram as coleções, enquanto slip dresses sobrepunham leggings coloridas, de texturas diversas e nuances metalizadas. As bomber jackets aparecem readaptadas e as célebres ombreiras, desta vez, acompanham cortes acinturados.

Além disso, moletons glamourosos, faixas largas para a cabeça, bolsas em versões lúdicas, muitas meias-calças e maxiacessórios, como argolas, apareceram em formas geométricas e combinações divertidas – reforçando o statement oitentista da temporada passada.  A nostalgia dos anos 1980 com esta pegada mais glamourosa foi propagada pela Gucci meses atrás, enquanto a maioria dos estilistas investia no luxury sport. Ao que tudo indica, os eighties vieram para ficar.

Eu, particularmente, estou adorando tudo! Vem comigo, que vou te mostrar!


A New York Fashion Week começou na quinta-feira (8/2), iniciando um calendário apertado para os fashionistas que, depois de conferirem tudo na Big Apple, deverão correr para acompanhar os cronogramas de Londres, Milão e, finalmente, Paris – encerrando, assim, os desfiles do circuito Big 4.

Seguindo um ritual já tradicional, a semana de moda poderá usar da controvérsia em seus desfiles, abordando os problemas de assédio e abuso sexual que assolaram o mundo e a indústria fashion nos últimos meses.

O maior deles foi a notícia de que Mario Testino e Bruce Weber, dois dos maiores fotógrafos do mundo, haviam sido acusados ​​de assédio sexual por diversas modelos, como publicou o jornal New York Times. As alegações fizeram a Condé Nast cortar os laços com os profissionais e anunciar um novo código de conduta para proteger os funcionários de atitudes inapropriadas e abusos no local de trabalho.

A editora-chefe da Vogue America, Anna Wintour, publicou um comunicado declarando estar profundamente perturbada com as acusações e afirmou que não fará nenhum trabalho novo com Testino e Weber.

Getty images

 

Apesar de todo contexto atual da NYFW estar bastante conturbado, o evento mantém seu foco na positividade, na fantasia e no lúdico, como em décadas passadas. O néon dos anos 1980, com sua autenticidade, se mistura a um punhado de referências cheias de cor que nos fazem viajar no tempo, em uma jornada cheia de estilo. Vale a pena conferir.

Resultado de imagem para nyfw 2018 GIF


1. Bomber revisitado
Para esta temporada, quanto maior, melhor. As jaquetas no estilo bomber foram destaque das passarelas no ano passado e, agora, voltam readaptadas em versões ainda mais largas e, em alguns casos, bastante extravagantes. A sensação é de estarmos próximos daquela polêmica jaqueta criada pelo estilista Dapper Dan que, anos depois, foi plagiada pela Gucci.

Jeremy Scott usou e abusou das cores e dos bolsos, enquanto Tom Ford exagerou no tamanho da peça ao misturar texturas, tons e estampas de forma glamourosa e divertida. Sem falar no modelo da Juicy Couture, que fez um mix entre a sofisticação e o brilho dos paetês numa produção bem urbana. O resultado de todas as bombers foi fantástico, justamente porque, no lugar da sobriedade clássica do inverno, os tons apareceram ainda mais reluzentes.

Tom Ford


Jeremy Scott

Getty Images

 

Getty ImagesGetty Images


Juicy Couture

WWD/Reprodução

 

2. Azul-celeste e laranja
O rosa é uma tendência duradoura, apesar de não ser grande novidade. Aparentemente, as cores da vez são uma mistura de tonalidades cítricas que resultam numa pegada divertida e artística quando usadas em conjunto. As principais são laranja e azul-celeste. Dominantes nas passarelas, os tons fazem composição com o vermelho, o rosa, o roxo e complementam diversas estampas de animal print, como python, leopardo e zebra. O verde limão é também protagonista nesse mix de cores.

Tom Ford brincou demais com essa mistura nos vestidos de festa, terninhos cigarette, moletons e jaquetas. O resultado foi incrível. Jeremy Scott, sempre irreverente, apostou nessa combinação em peças modernas de inverno. Já Adam Selman optou por um inesperado mix de cores com um toque de pop art surrealista e muito spandex.

Tom Ford

Getty ImagesGetty Images


Jeremy Scott

Getty ImagesGetty ImagesGetty ImagesGetty Images

 

Adam Selman

Getty ImagesGetty ImagesGetty Images

 

3. Animal print
Os prints animalescos soltaram suas feras nas passarelas. Tom Ford saiu na frente, abusando das impressões de leopardo, onça e cobra em produções streetwear de luxo e vestidos repletos de recortes e aplicações. Se depender dos fashionistas, as peças com essas estampas prometem se esgotar em questão de minutos.

Jeremy Scott também apostou no hit atemporal, mas com um viés mais contemporâneo e colorido, enquanto a Juicy Couture acompanhou o bonde da onça em looks mais despojados. Diferentemente dos demais, Adam Selman explorou a estampa de zebra em um styling mais rocker e cheio de atitude.

Tom Ford

Getty Images Getty ImagesGetty ImagesGetty Images

 

Jeremy Scott

Getty Images


Adam Selman 

Getty ImagesGetty Images Getty Images

 

Juicy Couture 

WWD/ReproduçãoWWD/Reprodução


4. Brilho, metalizado e futurista
Visando dar um destaque deslumbrante às peças, o brilho apareceu em diferentes formatos. Além dos itens de Tom Ford sugerirem pontos de luz estratégicos em terninhos, moletons e leggings, Jeremy Scott utilizou-se do metalizado para dar iluminação máxima às suas criações.

O vinil, o lamê e o bom e velho paetê também apareceram ao lado de lurex, brocados e bordados com lantejoulas, roubando a cena nos desfiles de Adam Selman, Juicy Couture e Ulla Johnson – que criaram peças extremamente deslumbrantes.

Tom Ford

Getty Images

 


Getty Images


Jeremy Scott

Getty ImagesGetty ImagesGetty ImagesGetty Images


Adam Selman 

Getty ImagesGetty ImagesGetty Images


Ulla Johnson 

Getty ImagesGetty ImagesGetty Images


Juicy Couture

WWD/ReproduçãoWWD/ReproduçãoWWD/ReproduçãoWWD/Reprodução


5. Leggings
Se você, assim como eu, é adepta do conforto das leggings, prepare-se: elas voltaram mais charmosas do que nunca. Em tons variados e texturas predominantemente brilhosas, o glow da peça também pode ser substituído por meias-calças mais grossas. Afinal, os inesquecíveis anos 1980 estão de volta, minha gente.

Tom Ford

Getty ImagesGetty ImagesGetty Images


Ulla Johnson

 

6. Ombreiras e cintura marcada
A renovação das polêmicas ombreiras em peças oversized veio readaptada para blazers, vestidos, casacos e camisas acinturadas, trazendo feminilidade ao estilo mais famoso da época: o new wave.

Os ombros aparecem em diferentes shapes. Os mais estruturados – com uma pegada no filme Uma Secretária do Futuro – foram vistos no desfile de Tom Ford e dão um ar de sofisticação e luxo à produção. Já aqueles mais redondos, como na apresentação de Adam Selman e Juicy Couture, romantizam a estrutura dos looks, sobretudo os de alfaiataria.

Tom Ford

Getty ImagfesGetty ImagesGetty ImagesGetty Images


Jeremy Scott

Getty Images


Adam Selman

Getty ImagesGetty ImagesGetty Images


Ulla Johnson

Getty Images


Juicy Couture

WWD/Reprodução

WWD/Reprodução
Além das coleções de outono/inverno 2018 estarem fazendo muito barulho neste início de estação, todo mundo está ansioso para ver as celebridades da primeira fila e outras coisas que você poderá conferir por aqui. Apesar de toda a vibe política ligada à campanha #MeToo, a semana já trouxe várias novidades e tendências imperdíveis. Desfrutem, e até a próxima!



 


ZebraNYFWJeremy Scottfashion weekadam selmantom fordleggingJuicy Coutureombreirasbrilhometalizadofuturista