Peter Lindbergh, o fotógrafo das supermodelos, morre aos 74 anos

Ao longo da carreira, o artista alemão fez imagens para diversas publicações de moda e dirigiu três edições do Calendário Pirelli

Frazer Harrison/Getty ImagesFrazer Harrison/Getty Images

atualizado 05/09/2019 1:10

O fotógrafo alemão Peter Lindbergh, conhecido pelo trabalho na moda, morreu nessa terça-feira (03/09/2019), aos 74 anos. A informação foi divulgada na própria conta do artista no Instagram, sem revelar o local ou a causa do óbito. Ele deixa quatro filhos (Benjamin, Jérémy, Simon e Joseph), sete netos e a esposa, Petra Sedlaczek. Ele é considerado “o pai das supermodelos” da década de 1990.

Fred Duval/FilmMagic via Getty Images
Peter Lindbergh começou a trabalhar como fotógrafo nos anos 1970 e se transformou em um dos maiores nomes do cenário contemporâneo da fotografia de moda

 

Peter Lindbergh nasceu em 23 de novembro de 1944, na cidade polonesa de Lezno (que, à época, se chamava Lissa e estava ocupada pela Alemanha), mas foi criado em Duisburg, na Alemanha. Depois de trabalhar como vitrinista em uma loja de departamentos, estudou pintura, tendo o holandês Van Gogh como principal inspiração artística.

Na fotografia, começou a se aventurar em 1971, quando trabalhou com o fotógrafo alemão Hans Lux na cidade alemã de Düsseldorf. Em 1973, abriu o próprio estúdio. Lindbergh ficou conhecido no país e trabalhou ao lado de nomes como Helmut Newton, Guy Bourdin e Hans Feurer na revista Stern. Já em 1978, mudou-se para Paris.

Sua trajetória fotográfica foi marcada por uma abordagem mais humanista com as mulheres. Em suas imagens, buscava libertá-las “do terror da juventude e da perfeição” ao evitar o retoque excessivo. Era um profissional que priorizava a personalidade e evitava os estereótipos.

Sean Gallup/Getty Images
Visitante em frente a uma foto famosa de Peter Lindbergh para a Vogue americana, em 1988. Na imagem, várias modelos recém-lançadas no mercado posam usando camisas brancas. Este registro é de 2007, de uma exposição do fotógrafo em Berlim

 

Reprodução/Vogue Britânica
A capa icônica para a Vogue britânica de janeiro de 1990. Na foto, posam Naomi Campbell, Linda Evangelista, Tatjana Patitz, Christy Turlington e Cindy Crawford

 

Reprodução/Vogue
Lindbergh também fotografou a primeira capa da editora-chefe Anna Wintour na Vogue americana, no ano de 1988

 

Reprodução/Harper's Bazaar
Clique de Madonna para a Harper’s Bazaar americana, em 1994

 

Reprodução/Vanity Fair
Ele também fotografou Meghan Markle antes de ela ser a duquesa de Sussex, para a Vanity Fair, em 2017

 

Com sua pegada minimalista e pós-moderna, Lindbergh deixou sua marca na fotografia de moda ao introduzir uma narrativa em seus trabalhos. Desde o fim dos anos 1970, trabalhou com publicações prestigiadas, como as revistas Vogue, Vanity Fair, Harper’s Bazaar, Interview, W e Rolling Stone.

Um de seus grandes feitos foi em 1988, quando clicou modelos recém-descobertas usando camisas brancas para a Vogue americana. No ano seguinte, reuniu nomes como Naomi Campbell, Cindy Crawford e Linda Evangelista em uma capa história da Vogue britânica, edição de janeiro.

Foi o trabalho do alemão que inspirou o fenômeno das supermodelos, perpetuado por personalidades como o cantor pop George Michael e o estilista Gianni Versace. Para Lindbergh, o papel da fotografia de moda era marcar “a imagem da mulher ou do homem contemporâneo em seu tempo”, como disse, em 2016, à revista Art Forum.

Ele também foi o fotógrafo que produziu mais edições do Calendário Pirelli até então, com três, ao todo: 1996, 2002 e 2017.

Peter Lindbergh/Calvin Klein
Campanha da fragrância Obsession, da Calvin Klein, com Kate Moss

 

Peter Lindbergh/David Yurman
Outra campanha com a supermodelo britânica fotografada por Lindbergh. Esta foi para a marca de joias David Yurman

 

Divulgação/Pirelli Calendar
Clique do Calendário Pirelli 1996, com Eva Herzigova

 

Divulgação/Pirelli Calendar
Nicole Kidman posando para o Calendário Pirelli 2017, também dirigido pelo fotógrafo alemão

 

Divulgação/Pirelli Calendar
Ele é recordista em edições do icônico calendário, tendo feito três: 1996, 2002 e 2017

 

Peter Lindbergh/Kenzo
Britney Spears em campanha para a grife francesa Kenzo, sob as lentes de Lindbergh

 

Reprodução/Vogue Britânica
Um de seus últimos trabalhos é o September Issue da Vogue britânica

 

Já neste ano, Lindbergh foi o responsável por várias capas da Vogue, como as edições da Alemanha, Arábia e Espanha. As imagens do September Issue da Vogue britânica, comandado por Meghan Markle, também foram capturadas por ele.

É possível conferir trabalhos do artista em várias coleções permanentes de museus ao redor do mundo, como o Metropolitan Museum of Art (Nova York), Centre Pompidou (Paris) e Victoria & Albert Museum (Londres).

Colaborou Hebert Madeira

SOBRE O AUTOR
Ilca Maria Estevão

Bacharel em psicologia pela Universidade Georgetown, em Washington D.C. (EUA). É apaixonada por moda e acompanha toda movimentação no universo fashion.

Últimas notícias