*
 
 

As passarelas de Paris não foram futuristas. Tampouco voltaram aos anos 1980. Na capital da moda, a viagem no tempo foi além e estabeleceu a era vitoriana do século 19 como a principal inspiração da estação.

Reinou em Londres aparecendo ainda mais forte nos desfiles de Paris. O estilo é mórbido e sombrio. No entanto, o romantismo se faz presente em cada detalhe. Renda, gola alta, babados e mangas drapeadas são a tendência oficial da temporada. Adicione aos looks um batom escuro, cabelos vermelhos ou cabeça raspada e você tem o gótico. A gola é pontiaguda e a cauda do meio-fraque pode ser vermelha.

Também conhecido como romântico o estilo é caracterizado por detalhes como broches e chapéus além de saias armadas. O corselet é a peça escolhida para marcar a cintura. A paleta de cores é escura e foca principalmente o preto, o roxo e o vinho.

Chanel, Alexander McQueen e Louis Vuitton viajaram no tempo nesta temporada. Em Londres foi destaque na passarela da Erdem.

Vem comigo conferir!

1. Erdem
O desfile da Erdem foi misterioso e melancólico. A referência ao vitoriano estava em todo o lugar. Desde os looks com capas aos vestidos de veludo molhado – drapeados e na altura da canela, a tendência era evidente no shape das peças. Vestidos, véus e pérolas traziam faziam homenagem a Adele Astaire, atriz e cantora americana da década de1920.

Mangas drapeadas e transparência reforçavam o estilo antiquado. A sensualidade ficou por conta dos decotes e fendas. Sapatos vieram em tons vibrantes, mas os modelos em vinho – cor da moda gótica – não ficaram de fora. Aparecem também no social masculino. O bico, algumas vezes, é fino; outras, arredondado.

 

Reprodução

 

Reprodução

 

Reprodução

 

Reprodução

 

Reprodução

 

2. Giambattista Valli
Na passarela do estilista Giambattista Valli, o gótico ficou por conta de looks em preto, mangas volumosas, babados e gola alta. Túnicas vermelhas e capas que arrastavam no chão, além de peças em renda, complementaram os visuais da passarela. A essência foi suavizada pelos tons terrosos e pelo romantismo vitoriano dos sapatos.

O vestido preto e branco, maleável, abraçava levemente a silhueta. A manga e a gola alta combinavam com a peça. Mangas com punhos de camisa deram modernidade a vestidos florais. Também não posso deixar de falar da belíssima capa de alfaiataria xadrez.

 

Getty ImagesGetty Images

 

Getty ImagesGetty Images

 

Getty ImagesGetty ImagesGetty Images

 

Getty Images


3. Alexander McQueen
Peças em renda preta, looks com meio-fraque e o excesso de itens em vinho, preto e vermelho comprovaram a vibe vamp da passarela de Alexander McQueen. Os cabelos com gel pareciam cabeças raspadas. O vermelho é vivo e forte. O tom aparece em caudas, golas, corpetes estruturados e ponchos, além de figurar no contorno das botas.

Mangas morcego acompanharam colares góticos com detalhes na cor púrpura. Um largo cinto no estilo corset marcou a cintura do vestido de tule bordado com insetos em pedraria. O look é deslumbrante. O vestido curto e cheio de amarrações ficou ainda mais gótico com as cores escuras. Renda preta acompanhou itens minimalistas e assimétricos.

 

Getty Images

O vestido curto e cheio de amarrações ficou ainda mais gótico com as cores escuras. O preto e o vinho têm tudo a ver com a estética

 

Getty Images

Além de bem-cortado, o smoking ganha mais personalidade com a cauda vermelha, que contrasta com o preto. Sem falar nos acessórios, os quais complementaram perfeitamente o look

 

Reprodução

Mais uma versão do smoking, desta vez como vestido e com uma cauda de renda bastante gótica

 

ReproduçãoReprodução

 

Reprodução

 

Reprodução

 

Reprodução

 

Reprodução

 

4. Louis Vuitton
A mulher que veste Louis Vuitton é capaz de fazer qualquer trabalho ou tarefa sem jamais descer do salto. O romantismo vitoriano e o mistério do gótico complementaram-se com grandiosidade. A passarela foi um exército de mulheres fortes e sedutoras. O preto e o branco gritavam surrealismo, enquanto corpetes coloridos tinham estampas geométricas em tons terrosos. Acessórios como broches apareceram em formato de tesouras. Peças românticas e cheias de babados complementavam os looks.

O amarelo-claro, ao lado do azul-royal, levou ainda mais cor à passarela. Losangos e estampas quadriculares adornaram vestidos, ao lado de blazers pontiagudos, saias e camisas. A trilha sonora grave e sombria anunciou os visuais que continham luvas em couro e jaquetas militares, lembrando uniformes de gala dos soldados britânicos. O diferencial ficou por conta dos detalhes em franjas, que trouxeram leveza e movimento às peças.

 

Getty Images

 

Getty Images

 

Getty Images

 

Getty Images

 

Getty Images

 

Getty Images

 

5. Chanel
O desfile da Chanel é sempre inusitado e impactante. A cada edição, a marca transforma o Grand Palais em um cenário com direito a cascatas e montanhas. Karl Lagerfeld escolheu uma floresta para a temporada Fall 2018. Folhas do outono caídas ao chão se relacionavam com as capas de veludo e os casacos Jacquard.

Casacos de veludo molhado apareceram em preto e quase arrastavam no chão. Ombreiras drapeadas deram o toque final ao look essencialmente vitoriano. Peças em Jacquard, novidade da Chanel, apareceram em vestidos, túnicas e casacos. Botas e luvas douradas, além de colares de pérolas, arremataram o styling e fizeram a diferença nos visuais da passarela.

As botas são em tom de dourado antigo. De salto baixo e bico fino, são simplesmente um escândalo. Compuseram os looks e apareceram em duas versões: na altura do joelho, ou over the knee. Maleáveis e confortáveis, lembraram as maravilhosas peças em croco da passarela da Off White.

 

Getty Images

 

Getty Images

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

 

Getty Images

 

Até a próxima!



 


modaparisTendênciasPFW