Dolce & Gabbana exibe coleção de alta moda inspirada na Grécia Antiga

Deusas da mitologia, como Ártemis e Hera, serviram como referência, além de obras de arte

Divulgação/Dolce & GabbanaDivulgação/Dolce & Gabbana

atualizado 07/07/2019 11:01

As peças de alta-costura exigem elevado rigor técnico e são feitas em Paris. Na Itália, o ramo mais luxuoso do mundo fashion recebe o nome de Alta Moda. Parte da programação, o desfile de outono/inverno 2019 da Dolce & Gabbana foi realizado nessa sexta-feira (05/07/19).

A inspiração da coleção veio da Grécia Antiga e de seres mitológicos. Para combinar, a apresentação aconteceu no Templo da Concórdia, localizado na Zona Arqueológica de Agrigento, na ilha da Sicília.

Vem comigo!

 

A grandiosidade do cenário foi uma extensão das roupas. A coleção foi trabalhada com bordados de pedras preciosas, espartilhos metalizados e modelagens medievais.

As produções foram intensas e cheias de detalhes. O exagero estava no volume de tecido e na mistura de texturas. Destaque para o dourado, que foi usado em looks da cabeça aos pés e também como complemento. Entre os materiais escolhidos por Domenico Dolce e Stefano Gabbana, estão tule, jacquard, lurex e paetês.

Esculturas apareceram como padronagens, headpieces, e foram aplicadas em diferentes peças. Além disso, os estilistas da grife italiana investiram em muitos acessórios de cabeça, como tiaras e até capacetes de ouro.

Obras de arte apareceram como estampas. Entre as reproduções, estão pinturas de Jacques-Louis David e Jean Antoine Giroust.

Divulgação/Dolce & Gabbana
O desfile de alta moda da Dolce & Gabbana foi grandioso

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Dourado da cabeça aos pés

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Esculturas aparecem como aplicações na peça com transparência

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Vestido inteiramente bordado com paetês

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Vestido assimétrico com saia de tule drapeada

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Vestido de organza com detalhes de pérolas

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Espartilho dourado e saia com reprodução de pintura do francês Jean Antoine Giroust

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
A capa sofisticada tem textura rica

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Peça inspirada na deusa Ártemis

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
A saia, que é inteiramente bordada com técnica de ponto cruz, reproduz o trabalho de Jacques-Louis David

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Esculturas gregas foram usadas como headpieces

 

Divulgação/Dolce & Gabbana
Inspirado na deusa Hera, o último look foi feito com tule de seda

 

 

As modelos desceram pela escadaria do Templo da Concórdia e seguiram rumo à passarela, posicionada na frente do monumento. Quem fechou a apresentação foi a brasileira Isabeli Fontana. Depois do desfile, a Dolce & Gabbana ofereceu um jantar fechado para convidados.

 

Colaborou Rebeca Ligabue

SOBRE O AUTOR
Ilca Maria Estevão

Formada em psicologia pela Universidade Georgetown, em Washington (EUA). É apaixonada por moda e acompanha toda movimentação no universo fashion.

Últimas notícias