Deh Martini ensina como as cores podem valorizar seu estilo

Saiba como funciona a técnica do colorismo e quais são os principais tipos de combinações de tons

JP Rodrigues/ MetrópolesJP Rodrigues/ Metrópoles

atualizado 18/02/2019 22:06

Sabe aquela cor que você automaticamente passa a receber mais elogios após usar? Isso tem uma explicação: as cores têm força física e psicológica. A tonalidade de uma peça de roupa, acessório ou maquiagem pode valorizar (ou não) a coloração da pele.

Segundo a Teoria das Cores, com a escolha mais adequada é possível iluminar o rosto e os olhos, além de disfarçar marcas de expressão, olheiras e até palidez. Especialista em colorismo, Deh Martini destaca que cada nuance age de um jeito específico na pele de cada pessoa.

“Não existe cor desprovida de sentimento. Elas causam um efeito físico na pessoa, absorvendo a luz e rebatendo. Quando rebatem, agem no tom de pele”, explica.

Vem comigo saber mais!

O objetivo da técnica é fazer as clientes enxergarem as cores de forma diferente. No curso, a consultora usa recursos como teste de cores e uma cartela de harmonia pessoal para descobrir os tons que mais se adequam a cada pessoa.

“É para elas entenderem e desbloquearem o preconceito com a cor. Não adianta nada dar a cartela para a pessoa se ela não souber utilizar. Quero que ela use e ouse”, destaca Deh.

JP Rodrigues/ Metrópoles
Deh Martini explica como as cores podem valorizar cada pessoa

 

JP Rodrigues/ Metrópoles
As alunas precisam ser familiarizadas com diferentes tons e o poder de cada um

 

Cada cartela pessoal tem três componentes: temperatura, profundidade e intensidade. Cada um deles tem variações: a temperatura pode ser quente ou fria; a profundidade divide-se em clara ou escura; já a intensidade é opaca ou forte.

“Normalmente, as pessoas pensam só no gosto pela cor, não nos tons relacionados a si mesmas. Com o colorismo, a gente analisa o que fica melhor em cada pessoa, utilizando tecidos próprios para isso”, esclarece Deh Martini.

JP Rodrigues/Metrópoles
Cada cliente faz o teste de cores com uma cartela de harmonia pessoal

 

JP Rodrigues/Metrópoles
O resultado é conferido em grupo para que cada uma possa ver a diferença nas outras

 

No entanto, não há limitação. Se a pessoa gosta muito de preto e a cor não está na cartela, o indicado é que use outros tons para suavizar o tom na maquiagem, em outras peças e em acessórios. 

“É um caminho que eu dou, um caminho do sucesso. Isso serve para que a pessoa tenha autoconhecimento para escolher quando estiver na dúvida”, destaca a especialista. “Não acho que a gente tenha de seguir só a cartela. Não existe ‘não pode’”, completa. 

JP Rodrigues/Metrópoles
Deh também ensina tipos de combinações

 

A servidora pública Bruna Ribeiro procurou o curso porque sentia vontade de conseguir ousar mais nas combinações. “Descobri que minha cartela tem cores escuras, quentes e opacas, das quais eu sempre gostei, como o roxo-uva. Também me surpreendi com a presença de tons de amarelo, como o mostarda. Vou até tentar usar”, explica. “Saber o que me favorece é muito legal”, conclui.

JP Rodrigues/ Metrópoles
Bruna Ribeiro fez o curso para aprender a sair um pouco do preto e ousar mais nas produções

 

Depois de descobrir a paleta de cores que a favorece, cada pessoa pode mesclar tons com outros que caem bem. Existem algumas combinações consideradas curingas.

Vale destacar que não existe cor neutra para todo mundo. Tons considerados sóbrios, como preto, cinza e branco, também agem de formas diferentes em cada pele. 

 

Combinação complementar
É a mistura de cores que estão opostas entre si no círculo cromático.
Exemplos: verde e rosa; amarelo e roxo

Reprodução/Color Wheel
Cores complementares

 

Peter White/Getty Images
Verde e rosa na passarela da Alexis Mabille em Paris

 

Tristan Fewings/Getty Images
No street style da Itália

 

Reprodução/Color Wheel
Mix complementar

 

Kirstin Sinclair/Getty Images
Mix complementar no street style de Londres

 

Getty Images
Passarela da Atsushi Nakashima

 


Combinação análoga

As cores análogas são aquelas que estão vizinhas dentro do círculo cromático.
Exemplo: rosa, vermelho e laranja

Reprodução/Color Wheel
Cores análogas

 

Edward Berthelot/Getty Images
Combinação análoga pelas ruas de Paris

 

Combinação tríade
A combinação tríade é feita com três cores equidistantes no círculo cromático.
Exemplos: amarelo, vermelho e azul; amarelo, azul e rosa

Reprodução/Color Wheel
Esquema tríade

 

Christian Vierig/Getty Images
Mistura tríade em Berlim

 

Christian Vierig/Getty Images
Mix tríade nas ruas de Paris

 

Reprodução/Color Wheel
Esquema tríade

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Combinação tríade

 

Sobre a consultora
Nascida em Campinas (SP), Deh Martini é formada em negócios de moda e consultoria de imagem. Atua na área há 12 anos e acumula experiências em grifes nacionais, como Carina Duek, Cris Barros e Lilly Sarti. Atualmente, trabalha como personal stylist e também ministra cursos de imagem pessoal.

O contato com o colorismo começou na faculdade de moda. “Quando descobri as minhas cores, entendi que eu podia comprar o que já gostava de forma intuitiva, mas não o fazia porque tinha medo e sempre questionava o olhar do outro. Às vezes, a gente leva muito isso em conta: a opinião de alguém próximo, a cor do ano, a liquidação”, explica.

JP Rodrigues/Metrópoles
Deh Martini é especialista em colorismo

 

JP Rodrigues/Metrópoles
Deh conheceu o colorismo na graduação em moda. Ela fala que a própria cartela de cores é formada por tons opacos

 

JP Rodrigues/Metrópoles
Deh Martini foi recebida em Brasília na Wish, multimarcas de Cátia Gonçalves

 

Para outras dicas e novidades sobre o mundo da moda, não deixe de visitar o meu Instagram. Até a próxima!

Colaborou Rebeca Ligabue

SOBRE O AUTOR
Ilca Maria Estevão

Bacharel em psicologia pela Universidade Georgetown, em Washington D.C. (EUA). É a colunista de moda do Metrópoles e acompanha a movimentação na indústria fashion nacional e internacional. Além da curadoria de Ilca, o espaço tem a colaboração dos repórteres Rebeca Ligabue, Hebert Madeira, Danillo Costa e Sabrina Pessoa. Após passar por rigoroso processo de pesquisa, apuração e troca de ideias, as matérias são publicadas diariamente às 5h30, às 12h e às 15:30h. Às terças, quintas e aos domingos, o primeiro texto postado na coluna é uma reportagem especial.

Últimas notícias