Suposta delação de Ricardo Leal alerta políticos e empresários

Ex-conselheiro do BRB é apontado como líder de um esquema de corrupção que teria movimentado R$ 400 milhões do banco

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 07/02/2019 20:37

A notícia de que o ex-conselheiro do Banco de Brasília (BRB) Ricardo Leal negocia acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) deixou muita gente de cabelo em pé nesta quinta-feira (7/2). A informação foi publicada pelo colunista Ancelmo Gois, de O Globo.

Ricardo Leal é apontado como líder de um esquema de corrupção que teria movimentado R$ 400 milhões do BRB, segundo investigação do MPF e da Polícia Federal.

É dele a indicação de toda a cúpula do banco na gestão do governador Rodrigo Rollemberg (PSB). Esse grupo foi alvo, na semana passada, da Operação Circus Maximus. Em 29 de janeiro, foram cumpridos 14 mandados de prisão contra acusados de envolvimento nas supostas práticas criminosas, que englobam negociações com empreendimentos no Rio de Janeiro e em Brasília.

Ricardo Leal foi tesoureiro de campanhas de Rollemberg e atuou por muitos anos no mercado de finanças. Agora, segue preso preventivamente no Complexo Penitenciário da Papuda.

Apesar do rebuliço, o advogado de Leal, o ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Hamilton Carvalhido, disse que não procede a aventada delação de seu cliente. “De forma absoluta, não é verdade.”

O Ministério Público Federal informou que não comenta esse tipo de negociação.

Últimas notícias