Sinpro sobre calendário de volta às aulas na rede pública do DF: “Precoce”

"Só se dará quando a pandemia estiver sob controle", afirmou, em vídeo, Rosilene Corrêa, diretora do Sindicato dos Professores do DF

atualizado 13/07/2020 22:07

Logo após a Secretaria de Educação divulgar o cronograma para a retomada das atividades presenciais na rede pública de ensino do Distrito Federal, nesta segunda-feira (13/7), a diretora do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF) Rosilene Corrêa se manifestou por meio de vídeo.

“Este não é o momento. O momento só se dará quando a pandemia estiver sob controle”, afirma Rosilene na gravação. “Infelizmente, os movimentos que o Governo do Distrito Federal têm feito são para agravar a situação. Isso dificulta nosso retorno”, destacou.

A dirigente também destacou que “os pais não têm segurança de mandar seus filhos de volta para as escolas”. “O momento de voltar é quando tivermos segurança”, completou.

Ainda no vídeo, Rosilene diz que o sindicato tem sido questionado sobre uma possível greve. “Em tempos normais, a gente só faz uma greve quando não temos mais alternativa. Por mais que uma greve pela vida seja legítima, a gente espera pelo bom senso”.

Assista:

Novo calendário
De acordo com o calendário divulgado pela Secretaria de Educação nesta segunda-feira (13/7), os primeiros alunos a regressarem serão os da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e da Educação Profissional. Em 8 de setembro, será a vez dos matriculados ensino médio

No dia 14 de setembro, retornam os estudantes dos anos finais do ensino fundamental , incluindo a Escola do Parque da Cidade – PROEM. Em 21 de setembro, voltam os anos iniciais, incluindo a Escola Meninos e Meninas do Parque.

Para a educação infantil, a retomada está marcada para 28 de setembro, enquanto para os centros de ensino especial, a Educação Precoce e as classes especiais, as atividades presenciais estão previstas para 5 outubro.

Confira o calendário

  • 31 de agosto: início das aulas presenciais da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e da Educação Profissional
  • 8 de setembro: início das aulas do ensino médio
  • 14 de setembro: início das aulas dos anos finais do ensino fundamental, incluindo a Escola Parque da Cidade (Proem)
  • 21 de setembro: início das aulas dos anos iniciais do ensino fundamental, incluindo a Escola Meninos e Meninas do Parque
  • 28 de setembro: início das aulas da educação infantil
  • 5 de outubro: início das aulas do ensino especial, educação precoce e classes especiais
Rotina

Para manter o distanciamento social, a Secretaria de Educação optou por um modelo híbrido. Metade dos estudantes de cada turma irá à escola presencialmente em um semana, enquanto os demais farão atividades virtuais ou impressas – no caso daqueles que não tiverem acesso. Na semana seguinte, o sistema será invertido. A alternância irá até o fim do ano letivo, em janeiro.

Não será permitido que os estudantes permaneçam nas escolas por mais de um turno. Eles serão orientados em relação às medidas de profilaxia a fim de evitar a disseminação do novo coronavírus. Deverão usar máscaras, lavar as mãos com frequência, evitar contato físico e não compartilhar objetos.

Testagem

O primeiro passo, de acordo com a pasta, para o retorno das atividades escolares presenciais é a testagem dos profissionais de educação para Covid-19. Os exames serão realizados em parceria com a Secretaria de Saúde de 3 a 14 de agosto.

Em seguida, de 17 a 28 de agosto, ocorrerá a ambientação presencial dos profissionais das carreiras do magistério e assistência, com formação para os protocolos de segurança nas unidades escolares, de acordo com as orientações das autoridades de saúde pública. Aquelas pessoas que pertencem ao grupo de risco não voltarão.

Profissionais que apresentarem sintomas da Covid-19 também não deverão atuar de forma presencial.

“Tudo foi planejado detalhadamente e tomando todos os cuidados necessários. Nós testaremos os professores, cumpriremos todos os protocolos e teremos uma volta gradual e segura para toda a comunidade da educação. Ter um retorno do processo educacional, mas de forma segura e absolutamente planejada”, garante o secretário de Educação, Leandro Cruz.

Últimas notícias